quinta-feira, setembro 27, 2012

Apresentação do seniores do CDR Outeirense - Temporada 2012/2013


---
CLUBE OS DEMOCRATAS RECREATIVO - OUTEIRENSE
-----
Campo da Camarneira( Relvado Sintético)
-----
FUNDADO EM 1977
---
PLANTEL 2012-2013
Guarda-Redes : Carlos Duarte e João Faustino
Defesas : João Pevide, Sérginho, Joel Alves, Brunito, Fábio Gomes, Becas
Médios : Rui Lobo, Rodolfo Cabral, Tojeira, Luís Tiui, Telmo Lavos, João Portugal
Avançados : Hugo Neto, Ricardo Lavos, Ary, Quim Lavos, Bocas
Treinador : Sérgio Lavos
Adjunto : Rui Xaréu
Treinador GR : Manuel Lavos
Dirigentes : Telmo Baroso
Presidente :
-----

Histórico
Plantéis
---
Sabes mais sobre esta equipa ou tens fotos da mesma? Então envia-nos para fdleiria@hotmail.com  para termos este espaço cada vez mais completo.

7 comentários:

  1. Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria
    Árbitro: Quintino Rodrigues.


    União de Leiria 1:Vitor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio, Nicholas; Fábio Santiago, Leandro (Jeferson, 90+4m), Dani (Tiago Freitas, 82m), Dário Marquês, Edgar Grincho (João Gomes, 66m) e Giovani.
    Suplentes: Ivo, Tiago Gonçalves, Tiago Faustino, Yago.
    Treinador: Luis Bilro.
    .
    CDR Outeirense 0 :Carlos Francês; Volodimir, Fábio, Pevide, Becas; Rodolfo Cabral, Sandro Lavos (Quim, 82m), Bruno, Nascimento (Tiui, int.), Vando (Ari, 69m) e Ricardo.
    Suplentes: Faustino, Joel e Neto.
    Treinador: Sérgio Lavos.
    Ao intervalo: 0-0.
    .
    Golos: 1-0, por Leandro (55m).
    Acção disciplinar: Becas (29m), Marco Aurélio (32m), Dário Marquês (35m), Pevide (45m), Leandro (60m), Fábio (69m), Ricardo (89m), Tiui (90+4m), Rodolfo (90+4m).
    .
    A União de Leiria entrou com o pé direito na nova época, em termos oficiais, ao vencer o Outeirense por 1-0 em jogo a contar para o Torneio Preliminar da Taça Distrital. Num estádio muito bem composto de público, onde se destacaram as dezenas de adeptos da equipa de Outeiro da Fonte que se deslocaram a Leiria, a União rubricou uma boa exibição perante um Outeirense que pouco conseguiu incomodar as redes de Vitor Maranhão.
    A primeira parte foi jogada a uma toada morna, onde escassearam as oportunidades de golo, apesar do maior ascendente ofensivo dos leirienses, contra um Outeirense que só de bola parada conseguia levar o perigo junto à área adversária.
    A primeira situação de golo apareceu para a União de Leiria (25m) quando Dani, após excelente trabalho na direita, cruzou para a área onde Giovani e Edgar Grincho falharam a emenda à boca da baliza.
    Só perto do intervalo é que se voltou a ver uma oportunidade de golo e novamente para a equipa de Luís Bilro. Na sequência de um pontapé de canto, Marco Aurélio ficou com tudo para fazer o golo mas o remate foi tirado em cima da linha por um defesa visitante.
    O intervalo chegou com um nulo no marcador que castigava o futebol nem sempre bem jogado pelas duas equipas, e, principalmente, a escassez de oportunidades de golo.
    No segundo tempo, a equipa do Outeirense deixou por completo de existir em termos ofensivos já que as transições nunca tiveram sucesso, enquanto a União de Leiria dominou por completo a partida, tendo, contudo, algumas dificuldades para chegar ao último reduto do Outeirense que defendeu de forma coesivo e com as linhas muito baixas.

    ResponderEliminar
  2. Como seria de esperar, as oportunidades de golo para os leirienses foram aparecendo aos poucos como por exemplo no cabeceamento de Giovani (48m) ao segundo poste para grande defesa de Carlos.
    Um minuto depois foi Rui Bento que tentou a longa distância, mas o remate em arco saiu por cima da baliza. Depois de tanto ameaçar, a recompensa chegou para a União de Leiria aos 55 minutos quando Leandro aproveitou o ressalto de um primeiro cabeceamento de Giovani para encostar para o fundo da baliza e fazer o único golo da partida.
    A partir daqui o Outeirense tentou arriscar colocando mais homens na frente, mas as transições ofensivas não estavam a funcionar, com os leirienses a aproveitarem para fazer a gestão da partida. Com o onze de Outeiro da Fonte mais aberto, a União de Leiria teve mais espaço para criar perigo como aconteceu com Dário Marquês (78m) que após ter roubado a bola a um adversário, ficou em boa posição para fazer o golo, mas o remate foi bem defendido por Carlos. Alguns minutos depois houve novo duelo entre Dário Marquês e Carlos, com o guarda-redes visitantes a levar a melhor.
    Já perto do final da partida (87m), Giovani apareceu bem ao segundo poste após livre apontado por Leandro, mas o cabeceamento passou pouco por cima da baliza.
    Terminou assim a partida com a União de Leiria a justificar por completo a conquista dos três pontos, apesar da equipa ainda revelar alguma falta de automatismos que certamente serão corrigidos com o decorrer dos jogos. Quanto ao Outeirense, a equipa demonstrou alguma falta de ambição já que nunca conseguiu incomodar Vitor Maralhão nos 90 minutos.
    Trabalho mediano do trio de arbitragem liderado por Quintino Rodrigues. Num jogo correcto, em que os jogadores se respeitaram mutuamente, não havia necessidade de mostrar cartões amarelos a tudo o que se mexia. Pelo menos, teve o mérito de não ter influenciado o resultado final.


    José Roque - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  3. Treinador do CDR Outeirense diz que os clubes irão ficar parados um mês antes de começar campeonato da 1ªdivisão distrital.
    .
    As vozes contra o novo modelo da Taa Distrital têm-se feito têm-se feito ecoar; e aúltima surgiu por intermédio do treinador do CDR Outeirense, Sérgio Lavos. Este ano a Associação de Futebol de Leiria decidiu implementar um Torneio Preliminar da Taça Distrital que consite na criação de quatro grupos com cinco equipas cada, onde o último classificado fica afastado do resto da competição que será disputada nos moldes tradicionais, ou seja, por eliminatórias.
    Depois das critícas de Luís Bilro, foi a vez de Sérgio Lavos garantir que não estão a ser salvaguardados os interesses dos clubes amadores de Leiria. "Esta é uma competição para encher calendário. Ou seja, vamos defrontar quatro equipas e depois vamos estar parados um mês à espera que comece a I divisão distrital que só vai ter início a 2 de Dezembro", afirmou o técnico após a primeira jornada da Taça Distrital em que o CDR Outeirense defrontou a UD Leiria no Estádio Municipal, averbando uma derrota por 1-0.
    Para Sérgio Lavos seria mais lógico as competições iniciarem-se com a i divisão distrital e só depois com a Taça Distrital. " Acho que deveria ser ao contrário a formatção das competições. Devia-se previligiar as equipas amadoras porque trabalham por amor à camisola e estar um mês sem jogar depois de acabar esta competição é muito longo" disse.
    Apesar de tudo, o técnico do CDR Outeirense salienta que esta é uma competição em que a sua equipa vai tentar surpreender. "O Outeirense vai tentar ganhar a prova, mas, como é óbvio, não me pdem nem eu peço aos meus jogadores para ganharem todos os jogos. Há equipas com maior responsabilidade. No ano passado chegámos aos quartos-de-final da Taça Distrital e temos a esperança de paulatinamente irmos ganhando jogos para chegar o mais longe possível", explicou Sérgio Lavos.
    "Eu gostava de ganhar a Taça e por isso vão ter de levar connosco e terão que ser mais competitivos que nós", concliuiu o técnico.

    ResponderEliminar
  4. A equipa orientada por Sérgio Lavos ainda apanhou um susto inicial, mas cedo se percebeu, que dificilmente não daria a volta ao marcador e venceria o jogo. Foi o que aconteceu.


    2ªEliminatória da Taça Distrital - Seniores
    Campo das Camarneiras, em Outeiro da Fonte
    Árbitro: António Nobre, auxiliado por Micael Rodrigues e Tiago Vicente
    Assistência: 80 Espectadores


    CDR Outeirense 3: Carlos Duarte, Becas, João Pevide, Joel Alves (Cap.), Serginho (Telmo Lavos, aos 42 min.), Brunito, Rodolfo Cabral, Rui Lobo (Luís Tiui, aos 42 min.), Tojeira (Quim Lavos, aos 82 min.), Hugo Neto, Ari
    Suplentes não utilizados: João Faustino, João Portugal, Bocas, Fábio Gomes
    Treinador: Sérgio Lavos
    Adjunto: Rui Xaréu
    Delegado: Carlos Pinhal
    .
    AC Avelarense 1: Ivo Duarte, Tiago Estanqueiro (Ricardo, aos 62 min.), João Serra, Tiago Simões (Carlos, aos 80 min.), Pedro Moreira, Meireles, Rafael Caetano (Cap.), Luís Silvério, Estudante (Pires, aos 52 min.), David Mendes, Edir Delgado
    Suplentes não utilizados: Vitória, Miguel, Rui, Diogo
    Treinador: Nuno Oliveira
    Adjunto: Paulo Miguel
    Delegado: Carlos Rosa
    .
    Ao Intervalo: 0-1
    Marcadores: 0-1 Rafael Caetano g.p (aos 10 min.), 1-1 Ari (aos 57 min.), 2-1 a.g de Ricardo (aos 74 min.), 3-1 Ari (aos 78 min.)
    Acão Disciplinar: Amarelo a Rui Lobo (aos 18 min.), Pedro Moreira (aos 38 min. e aos 51 min.), Ivo Duarte (aos 64 min.), Luís Silvério (aos 65 min), João Pevide (aos 85 min.), Telmo Lavos (aos 88 min.). Vermelho por acumulação de amarelos a Pedro Moreira (aos 51 min.). Vermelho Direto a Miguel, que estava no banco de suplentes do Avelarense, por ofensas á assistência.
    .
    Em jogo a contar para a 2ªEliminatória da Taça Distrital de Leiria, a equipa do CDR Outeirense recebeu e venceu a equipa do AC Avelarense.
    O jogo começou praticamente com o golo madrugador da equipa do Avelarense. Lance fortuito no interior da área da equipa do Outeiro da Fonte, com a bola a bater na mão de Rodolfo Cabral e com o auxiliar de António Nobre a considerar que houve intenção. Decisão discutível, mas que se aceita, dado a boa visão do lance por parte do auxiliar. Grande penalidade que Rafael Caetano converteu em golo.
    Em desvantagem no marcador, a equipa do Outeirense foi em busca do empate e paulatinamente começou a tomar conta do jogo, principalmente através de Ari, que se mostrava o jogador mais inconformado do ataque do Outeirense. Aos 26 minutos, Hugo Neto, vai beneficiar de oportunidade soberana, depois de uma série de ressaltos dentro da área do Avelarense, mas o avançado acaba por fazer o que parecia mais difícil, e permite a Ivo Duarte fazer a defesa da tarde. O Outeirense era mais perigoso, mas apresentava algumas lacunas na sua transição para o ataque, com muitas percas de bola. E vai ser já em cima dos 45 minutos, que de novo Hugo Neto, vai ter mais uma boa oportunidade de golo, depois de um bom trabalho individual dentro da área do Avelarense, mas o remate sai ligeiramente ao lado. O resultado ao intervalo castigava a falta de concretização do Outeirense.


    A 2ªparte começou com o Outeirense a impor ainda mais pressão, e logo aos 46 minutos, Ari a trabalhar bem na direita, a cruzar perigoso para a área, com um defesa do Avelarense a conseguir fazer o corte quando a bola levava muito perigo para a sua baliza. Três minutos depois, aos 49, é a vez de Tojeira ter uma perdida incrível, depois de um remate forte, com Ivo Duarte a defender para a frente e na recarga, Tojeira, em posição privilegiada, a rematar para fora.

    ResponderEliminar
  5. A pressão do Outeirense acentuava-se, e adivinhava-se o golo do empate. Não antes, de aos 55 minutos, Hugo Neto ter uma perdida incrível, e já depois de ter ultrapassado o guardião Ivo Duarte, e quando tinha tudo para fazer o empate, acabou por rematar para fora. Mas foram precisos apenas mais dois minutos, para o Outeirense restabelecer mesmo o empate. Aos 57 minutos, Hugo Neto a ganhar posição e a colocar a bola por cima de Ivo Duarte, com o oportuno Ari a emendar o lance mesmo a boca da baliza. O Avelarense tinha cada vez mais dificuldades em sair para o ataque, mas aos 61 minutos, vai ainda beneficiar de um lance de muito perigo. Contra-ataque rápido, com Rafael Caetano a colocar bem ao 2ºposte, onde apareceu rápido Pires, que por muito pouco não voltava a colocar o Avelarense em vantagem. Aos 64 minutos, e depois de um lance envolvendo Ari e o guardião Ivo Duarte, António Nobre considera que o guardião do Avelarense agride o avançado, já depois de ter a bola em sua posse, marcando grande penalidade. Na transformação da mesma, Tojeira permite a defesa a Ivo Duarte. Mas foram precisos apenas mais 10 minutos, para o Outeirense chegar mesmo a vantagem. Aos 74 minutos, canto na esquerda de Ari, e depois de uma série de ressaltos e remates, a bola a acabar no interior da baliza de Ivo Duarte, sendo tocada em último pelo jogador do Avelarense, Ricardo. E bastaram apenas mais 4 minutos para o Outeirense ampliar a vantagem para 3-1. Brunito a cruzar na direita e Ari no interior da área, a encostar fácil para o golo. Estava feito o resultado final.
    Vitória justa do Outeirense, que se mostrou bastante perdulário e intranquilo na 1ªParte, mas que na segunda metade retificou os erros e ganhou com naturalidade. Quanto a jovem equipa do AC Avelarense, onde se destacou Rafael Caetano, bateu-se bem, mas mostrou sempre algumas fragilidades.
    António Nobre e seus pares não tiveram uma arbitragem fácil, num jogo que teve alguns casos. Nos dois lances de grande penalidade, parece-nos que decidiu bem, pecando apenas por não ter expulsado o guardião Ivo Duarte. No resto, arbitragem regular, sem qualquer influência no resultado.

    ResponderEliminar
  6. 9ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Jogo no Estádio Municipal de Leiria
    Árbitro: David Alexandre (AF Leiria)
    Árbitros assistentes: Daniel Nicolau e Gonçalo Carreira.
    Espectadores: cerca de 200.
    .
    U. Leiria 0
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (cap.) e Tiago Gonçalves; Fábio Santiago, Jeferson e Leandro; Bruno Novo (Dani, 44), Henrique Piló (Gionani, int.) e Edgar Grincho.
    Não utilizados: Carlos Vieira, Tiago Faustino, Tiago Freitas e Yago.
    .
    CDR Outeirense 0
    Treinador: Sérgio Lavos.
    Faustino; Becas, João Duarte, Fábio Gomes (Joel, 69) e Serginho; Portugal; Vando, Hugo Neto (cap. - Tojeira, 69), Rodolfo e Telmo Lavos; Ari (Luís Tiui).
    Não utilizados: Ricardo Lavos, Lobo, Joaquim e Luís Gomes.
    .
    Acção disciplinar: cartão amarelo a Edgar Grincho (27), Faustino (52), Fábio Lopes (57), Serginho (82), Rodolfo (90+2), Telmo Lavos (90+4) e Joel (90+6).
    Expulsão do banco a Ruben, treinador adjunto da U. Leiria (53).
    .
    A equipa de Luís Bilro não conseguiu derrotar a bem escalonada formação do Outeirense num terreno muito empapado onde a chuva não faltou em quase toda a partida.
    Com mais posse de bola e trocando-a entre os seus jogadores a União quis surpreender os visitantes e aos cinco minutos num lance pela direita, Bruno Novo centrou e Henrique Piló preparava-se para abrir o activo mas um defensor visitante tocou na bola e esta foi para canto.
    A pouco e pouco os pupilos de Sérgio Lavos foram ganhando confiança e aos nove minutos beneficiaram de dois cantos criando algum perigo.
    Aos 14 minutos foi a vez do capitão Hugo Neto aplicar um potente remate e a bola passou por cima da barra da baliza de Vítor Maranhão.
    O jogo estava equilibrado e aos 19 minutos após um centro da direita por Bruno Novo, Henrique Piló de cabeça enviou a bola com a intenção de abrir o activo mas esta passou ao lado da baliza de Faustino.
    O Outeirense embora povoasse o seu meio-campo, tendo Ari como homem mais avançado, quando nas transições ofensivas contava com pelo menos três jogadores e aos 17 minutos beneficiou de um canto no seguimento de uma jogada de perigo.
    Aos 22 minutos Piló introduz a bola na baliza de Faustino mas o árbitro assistente Gonçalo Carreira assinalou fora-de-jogo. Quatro minutos depois Edgar Grincho num contra-ataque rápido remata forte por cima da barra, tendo respondido o Outeirense por Vando que centrou com perigo mas Hugo Neto rematou defeituosamente à baliza de Vítor Maranhão.
    Na resposta, Bruno Novo criou perigo, indo a bola para canto quando Henrique Piló se preparava para marcar.
    Refira-se que o árbitro assistente Gonçalo Carreira, assinalou muitos foras-de-jogo pois em grande parte do jogo a defensiva visitante tirava partido da lei do fora-de-jogo, mas nem sempre bem.
    Domínio dos visitados
    Praticamente em cima do intervalo Dani entrou para o lugar de Bruno Novo que saiu lesionado. Henrique Piló ficou no balneário e entrou o brasileiro Giovani para jogar os segundos 45 minutos.

    ResponderEliminar
  7. Os comandados de Luís Bilro entraram a todo o gás e Leandro aos 46 minutos num remate forte fez brilhar Faustino. Três minutos depois foi a vez de Dani num remate forte obrigar Faustino a defender categoricamente.
    A União não obstante o campo pesado optava pelo futebol de pé para pé entre os seus jogadores, que nos pareceu desaconselhável, tanto mais que tinha na frente de ataque o possante Giovani e o rápido Dani.
    Na equipa adversária pontificava a entre-ajuda e a entrega de todos os seus jogadores, com Portugal a mostrar que não é só um excelente cantor, como um atleta voluntarioso e muito guerreiro nos seus 39 anos de vida. Também os centrais foram impecáveis.
    O Outeirense no segundo tempo não criou perigo, também por culpa do sector defensivo da casa, especialmente Mário Wilson o melhor jogador em campo.
    Aos 58 minutos, no seguimento de um canto por Leandro Edgar Grincho rematou defeituosamente quando podia ter marcado e aos 67 minutos o capitão Marco Aurélio numa incursão ao ataque enviou a bola ao lado da baliza de Faustino quando tinha tudo para conseguir o golo .
    Aos 82 minutos Faustino um dos melhores homens em campo teve uma saída oportuna evitando o golo e aos 87 minutos a bola rondou a baliza deste goleiro que realizou mais uma boa defesa.
    O árbitro não teve uma missão facilitada até pelo estado do relvado, mas nem sempre bem auxiliado, é merecedor de nota positiva. Na expulsão de Faustino que os adeptos da casa reclamavam, foi admoestado com a cartolina amarela, achamos que esteve bem porque Dani não estava em posição frontal para a baliza e alguns defensores adversários estavam por perto.
    -----
    O que disseram os treinadores
    Luís Bilro (U. Leiria): "Fomos uma equipa inoperante em termos ofensivos, mas não coloco em causa a nossa superioridade sobre o adversário. Não conseguimos concretizar em golos as oportunidades criadas. Assumo inteiramente a responsabilidade deste resultado".
    Sérgio Lavos (Outeirense): "Foi um jogo bem disputado e tínhamos a ambição de ganhar o jogo mas o empate acaba por estar certo. A União está habituada ao relvado, pois é onde treina e joga, mas acho que equilibrámos o jogo embora União tivesse criado mais perigo".

    Tuna Caranguejeiro (Diário de Leiria)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...