sexta-feira, setembro 28, 2012

Apresentação dos Seniores da UD Leiria - Temporada 2012/2013

.
.
.
União Desportiva de Leiria
-
Fundada em 1966
-----
PLANTEL 2012-2013
Guarda-Redes : Vítor Maranhão, Ivo Arneiro e Carlos Pereira
Defesas : Marco Aurélio (ex-SC Pombal) , Mário Wilson (ex-CCR Alqueidão da Serra) , Nicholas, Ricardo Brás, Tiago Gonçalves, Rui Bento, Piérre Ricardo
Médios : Leandrito (ex-GD Peniche) , Jefferson, Yago Marques, Tiago Faustino, João Lopes, Bruno Novo, Tiago Freitas, João Gomes, Fábio Santiago
Avançados : Edgar Grincho (ex-Murteirense) , Hugo Sardão, Henrique Piló, Giovanni, Dário Marquês
Treinador : Luís Bilro
Adjunto : Paulito e Rúben Ferreira
Fisioterapeuta : José Carlos
Dirigentes : Diogo Neto
Presidente : Mário Cruz
-----
Histórico
2010-2011 : Sem Equipa
2011-2012 : Sem Equipa
Plantéis
---
Sabes mais sobre esta equipa ou tens fotos da mesma? Então envia-nos para fdleiria@hotmail.com  para termos este espaço cada vez mais completo.

60 comentários:

  1. Grande Uniâo.
    Vou assistir a todos os jogos que puder!

    ResponderEliminar
  2. Vítor Manuel Couto Maranhão, guarda-redes de 35 anos, é o novo reforço da equipa da União Desportiva de Leiria. O atleta, natural da Nazaré, e que chegou mesmo a ser internacional de futebol de praia, troca assim o Ginásio Clube de Alcobaça, onde iníciou a época e onde jogou nas últimas épocas, pelo clube de Leiria.Trata-se sem dúvida de uma mais valia para a equipa treinada por Luís Bilro, que numa equipa com muitos jovens, poderá assim beneficiar do contributo de um atleta mais veterano e com larga experiência.

    ResponderEliminar
  3. No Estádio Municipal de Leiria voltou-se a gritar “União, União, União”. Em jogo de apresentação aos adeptos, equipa de Luís Bilro perdeu por 3-1 contra o Tourizense mas deixou uma boa imagem.

    A União de Leiria deixou boas indicações no jogo de apresentação aos sócios e adeptos, apesar da derrota contra o Tourizense, da 2.a divisão nacional, por 1-3. O emblema do Lis regressou assim ao Estádio Municipal de Leiria praticamente um ano e meio depois de a equipa profissional ter disputado, naquele palco, o seu último jogo.
    Com as bancadas muito bem compostas, os jogadores da União de Leiria foram apresentados um a um, juntamente com a equipa técnica liderada por Luís Bilro. No entanto, a surpresa da noite estava reservada para a apresentação do mais recente reforço unionista, Vítor Maranhão. O guarda-redes, de 35 anos, natural da Nazaré, representou nas últimas onze temporadas o Ginásio Clube de Alcobaça, sendo considerado por muitos como um dos símbolos do clube de Alcobaça. Contudo, Maranhão 'rompeu' recentemente a sua ligação com o Ginásio abraçando um novo desafio na sua carreira com a camisola da União.
    Em relação ao jogo, os leirienses não poderiam ter entrado de melhor forma. Ainda alguns adeptos e sócios se estavam a acomodar nas cadeiras do estádio, já a União de Leiria vencia por 1-0, com um golo de livre directo convertido por Edgar Grincho. Começava assim a festa que ganhou um colorido especial com a presença de dezenas de jogadores das camadas de formação do clube leiriense que tiveram a oportunidade de realizar um pequeno treino antes do jogo.

    ResponderEliminar
  4. Este joão lopes é o que foi formado no lisboa e marinha e a época anterior esteve no pataias?

    ResponderEliminar
  5. Campo dos Arneiros, na Mata Mourisca
    Árbitro: José Pereira (AF.Leiria)


    U.Matamourisquense 2Rodolfo; Gabriel, Gonçalo Ramos, André e Tiago Domingues; René, João, Tiago Dias, Fernandito, Pipocas e Carlão
    Jogaram ainda: Zé, Fábio, Joel, João Xa, Rato, Marco e Marquito.
    Treinador: Fernando Monteiro
    .
    U.Leiria 3Vítor Maranhão; Rui Bento, Tiago Gonçalves, Nicolas e Mário Wilson; Geovani, Dário Marquês, João Gomes, Edgar Grincho, Lopez e Leandro
    jogaram ainda: Carlos e Ivo; Tiago Faustino, Pierre, Jefferson, Tiago Freitas, Yago, Santiago e Henrique Piló
    Treinador: Paulito
    .
    Ao intervalo: 1-0
    Marcadores: 1-0 Pipocas, 1-1 Geovani, 1-2 Henrique Piló, 1-3 Henrique Piló e 2-3 Tiago Dias
    .
    Em jogo de apresentação aos seus associados a União Matamourisquense recebeu a União Desportiva de Leiria, que este ano vai participar na 1.ªDistrital. Realce para a excelente assistência que assistiu ao encontro.
    A União Matamourisquense foi a primeira equipa a marcar, num belo golo de Pipocas. Ao intervalo o marcador registava uma vantagem por 1-0 por parte do conjunto local.
    No segundo tempo a U.Leiria efetuou várias mexidas e conseguiu chegar ao empate pelo brasileiro geovani. Pouco tempo depois a formação leiriense chegou à vantagem com um golo de Henrique Piló.
    A Uniao de Leiria dominava o encontro, mas a formação local sempre que podia criava perigo para a baliza de Ivo, que substituiu Vítor Maranhão no início do segundo tempo.
    Na parte final do encontro novo golo para os unionistas e uma vez mais por intermédio de Henrique Piló. Na resposta a União Matamourisquense reduziu para 3-2 com mais um golo de belo efeito por Tiago Dias.
    A União Matamourisquense deixou boas indicações para a época que se avizinha, enquanto a União de Leiria no segundo tempo confirmou que possui um conjunto para alcançar os objetivos pretendidos que passam pela subida de divisão.
    Boa arbitragem de José Pereira.

    ResponderEliminar
  6. Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria
    Árbitro: Quintino Rodrigues.


    União de Leiria 1:Vitor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio, Nicholas; Fábio Santiago, Leandro (Jeferson, 90+4m), Dani (Tiago Freitas, 82m), Dário Marquês, Edgar Grincho (João Gomes, 66m) e Giovani.
    Suplentes: Ivo, Tiago Gonçalves, Tiago Faustino, Yago.
    Treinador: Luis Bilro.
    .
    CDR Outeirense 0 :Carlos Francês; Volodimir, Fábio, Pevide, Becas; Rodolfo Cabral, Sandro Lavos (Quim, 82m), Bruno, Nascimento (Tiui, int.), Vando (Ari, 69m) e Ricardo.
    Suplentes: Faustino, Joel e Neto.
    Treinador: Sérgio Lavos.
    Ao intervalo: 0-0.
    .
    Golos: 1-0, por Leandro (55m).
    Acção disciplinar: Becas (29m), Marco Aurélio (32m), Dário Marquês (35m), Pevide (45m), Leandro (60m), Fábio (69m), Ricardo (89m), Tiui (90+4m), Rodolfo (90+4m).
    .
    A União de Leiria entrou com o pé direito na nova época, em termos oficiais, ao vencer o Outeirense por 1-0 em jogo a contar para o Torneio Preliminar da Taça Distrital. Num estádio muito bem composto de público, onde se destacaram as dezenas de adeptos da equipa de Outeiro da Fonte que se deslocaram a Leiria, a União rubricou uma boa exibição perante um Outeirense que pouco conseguiu incomodar as redes de Vitor Maranhão.
    A primeira parte foi jogada a uma toada morna, onde escassearam as oportunidades de golo, apesar do maior ascendente ofensivo dos leirienses, contra um Outeirense que só de bola parada conseguia levar o perigo junto à área adversária.
    A primeira situação de golo apareceu para a União de Leiria (25m) quando Dani, após excelente trabalho na direita, cruzou para a área onde Giovani e Edgar Grincho falharam a emenda à boca da baliza.
    Só perto do intervalo é que se voltou a ver uma oportunidade de golo e novamente para a equipa de Luís Bilro. Na sequência de um pontapé de canto, Marco Aurélio ficou com tudo para fazer o golo mas o remate foi tirado em cima da linha por um defesa visitante.
    O intervalo chegou com um nulo no marcador que castigava o futebol nem sempre bem jogado pelas duas equipas, e, principalmente, a escassez de oportunidades de golo.
    No segundo tempo, a equipa do Outeirense deixou por completo de existir em termos ofensivos já que as transições nunca tiveram sucesso, enquanto a União de Leiria dominou por completo a partida, tendo, contudo, algumas dificuldades para chegar ao último reduto do Outeirense que defendeu de forma coesivo e com as linhas muito baixas.
    Como seria de esperar, as oportunidades de golo para os leirienses foram aparecendo aos poucos como por exemplo no cabeceamento de Giovani (48m) ao segundo poste para grande defesa de Carlos.

    ResponderEliminar
  7. Um minuto depois foi Rui Bento que tentou a longa distância, mas o remate em arco saiu por cima da baliza. Depois de tanto ameaçar, a recompensa chegou para a União de Leiria aos 55 minutos quando Leandro aproveitou o ressalto de um primeiro cabeceamento de Giovani para encostar para o fundo da baliza e fazer o único golo da partida.
    A partir daqui o Outeirense tentou arriscar colocando mais homens na frente, mas as transições ofensivas não estavam a funcionar, com os leirienses a aproveitarem para fazer a gestão da partida. Com o onze de Outeiro da Fonte mais aberto, a União de Leiria teve mais espaço para criar perigo como aconteceu com Dário Marquês (78m) que após ter roubado a bola a um adversário, ficou em boa posição para fazer o golo, mas o remate foi bem defendido por Carlos. Alguns minutos depois houve novo duelo entre Dário Marquês e Carlos, com o guarda-redes visitantes a levar a melhor.
    Já perto do final da partida (87m), Giovani apareceu bem ao segundo poste após livre apontado por Leandro, mas o cabeceamento passou pouco por cima da baliza.
    Terminou assim a partida com a União de Leiria a justificar por completo a conquista dos três pontos, apesar da equipa ainda revelar alguma falta de automatismos que certamente serão corrigidos com o decorrer dos jogos. Quanto ao Outeirense, a equipa demonstrou alguma falta de ambição já que nunca conseguiu incomodar Vitor Maralhão nos 90 minutos.
    Trabalho mediano do trio de arbitragem liderado por Quintino Rodrigues. Num jogo correcto, em que os jogadores se respeitaram mutuamente, não havia necessidade de mostrar cartões amarelos a tudo o que se mexia. Pelo menos, teve o mérito de não ter influenciado o resultado final.


    José Roque - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  8. Marco Aurélio é um dos rostos emblemáticos da nova União de Leiria/Clube. Após vários anos a jogar nos campeonatos nacionais, o jogador de 34 anos aceitou um novo desafio na sua carreira e não podia estar mais satisfeito com a escolha que tomou. "Estou muito feliz. Tomei a opção de jogar na União de Leiria porque queria conhecer a realidade do futebol distrital, conhecer o trabalho que aqui se faz, mas também por a União ser um clube muito representativo no distrito de Leiria", afirmou Marco Aurélio.
    O jogador é actualmente capitão de equipa, uma situação que encara com normalidade. "Sendo capitão ou não, levo sempre as coisas com o máximo de responsabilidade. Além disso, todos os meus companheiros sabem o que andam a fazer e juntamente com o Luís Bilro, temos tido o trabalho facilitado e não podia estar mais satisfeito", disse.
    Quanto ao jogo de domingo, conta o GDCR Unidos, a contar para a taça distrital, Marco Aurélio espera um encontro "difícil", num campo sintético que "é sempre complicado", mas está apostado na vitória. "Como candidatos à vitória na competição, somos um alvo a abater, mas temos condiçoes para ganhar. A Taça Distrital é um objectico nosso e com um pouco de sorte, acredito sinceramente que a podemos vencer", concluiu.


    Texto - José Roque (Diário de Leiria)
    Foto - Face UD Leiria

    ResponderEliminar
  9. Jogo da 3ªJornada do Torneio Preliminar da Taça Distrital - Seniores
    Campo da Lagoa, em Casal dos Claros (Amor)
    Árbitro: André Moreira, auxiliado por Pedro Narciso e Bruno Nicolau


    GDCR Unidos 1: Eduardo Trindade, João do Toco, Rui Macedo, Ricardo Caminho, André Carvalho, Tiago Carmo (Bruno Correia, aos 60 min.), Dárcio Feliciano (Cap.), Hugo Monteiro, Rui Natário (Felipe André, aos 67 min.), Fábio Leiria (Wilson Alves, aos 87 min.) e Nelo
    Suplentes não utilizados: João Feliciano, Fábio Sousa, Tiago Grácio, David Santos
    Treinador: Hugo Caminho
    Adjunto: Ricardo Caçador
    Delegado: Fernando Gomes
    .
    UD Leiria 1: Vítor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (Cap.), Vítor Lopes, Bruno Novo, Leandrito, Fábio Santiago, Edgar Grincho, Dário Marquês (Dani, aos 71 min.), Giovanni (Henrique Piló, aos 45 min.)
    Suplentes não utilizados: Ivo, Gersson, Ricardo Brás, Tiago Freitas, Tiago Gonçalves
    Treinador: Luís Bilro
    Adjunto: Paulito
    Delegado: Miguel Grácio
    .
    Marcadores: 1-0 Nelo (aos 75 min.), 1-1 Henrique Piló (aos 90 min.)
    Acão Disciplinar: Amarelo a Tiago Carmo (aos 38 min.), Bruno Correia (aos 62 min.), André Carvalho (aos 71 min. e 89 min.), Mário Wilson (aos 74 min.), Edgar Grincho (aos 83 min.), João do Toco (aos 84 min.). Vermelho por acumulação de amarelos a André Carvalho (aos 89 min.)
    .
    Numa tarde bastante agradável, o Campo da Lagoa em Casal dos Claros registou uma verdadeira enchente para assistir a mais um jogo do Torneio Preliminar da Taça Distrital.
    O jogo começou bastante equilibrado, e com as equipas a procurarem estudarem-se mutuamente e a não arriscarem muito. Grande parte do jogo a decorrer no meio-campo e só aos 10 min., surge o primeiro remate á baliza, com Leandrito a provocar algum perigo junto da baliza de Trindade. Na resposta, lance perigoso para a equipa do Unidos. Perda de bola da equipa da UD Leiria, Nelo é lançado em velocidade, e em muito boa posição, remata para boa defesa com os pés de Vítor Maranhão.
    Aos 25 min., é a vez da equipa da UD Leiria estar muito perto do golo. Boa jogada colectiva na esquerda, e Vítor Lopes em boa posição, a optar por endossar a bola a um colega de equipa, quando podia ter optado pelo remate á baliza, com esta a acabar por ser intercetada pela defesa dos Unidos.
    A partir daqui o jogo entrou numa toada desinteressante, com muitas perdas de bola a meio-campo, muita luta e muita bola pelo ar, sem no entanto que surgissem mais lances de perigo de parte a parte.

    ResponderEliminar
  10. A 2ªparte começou com mais velocidade e cedo se percebeu que as equipas iam procurar arriscar mais. Logo aos 50 min., lance de muito perigo para os Unidos. Nelo, uma vez mais, a ganhar em velocidade, a ultrapassar Vítor Maranhão, e já de um ângulo apertado, remata á baliza, com Marco Aurélio a cortar a bola, quando esta se encaminhava para a baliza. Praticamente na resposta, boa jogada do Leiria, com Bruno Novo a centrar na direita e Henrique Piló no interior da área, a chegar á bola, mas a não lhe conseguir dar o melhor seguimento. Aos 66 min., Leandrito a ter um bom lance individual, a colocar em Dário Marquês, que em boa posição, desperdiça uma soberana ocasião de golo. Na resposta, bola cruzada na direita, a ressaltar num defesa do Leiria, e a chegar a Nelo, que no interior da área, recebe bem, mas só com Vítor Maranhão pela frente, desperdiça de uma forma incrível e remata para fora. Mas ficava o aviso, e cinco minutos depois, aos 75 min., o inevitável Nelo vai mesmo inaugurar o marcador. Jogada na esquerda, a bola a ser centrada para o interior da área, e perante a passividade da defesa da UD Leiria, Nelo a movimentar-se bem e a fazer o 1-0 para os Unidos.
    O golo sofrido parece ter feito bem á equipa da União, foi como que um “despertador”, e a partir daí a equipa da UD Leiria começou a pressionar mais, e logo aos 78 min., depois de um bom trabalho de Rui Bento, Henrique Piló a cabecear bem, com a bola a embater no poste direito da baliza de Trindade. A UD Leiria pressionava cada vez mais, com os Unidos a irem tentando aguentar a pressão e procurando agora jogar mais no contra-ataque para a velocidade de Nelo. Aos 80 min., a União mais uma vez perto do golo, com Dani a ter um excelente trabalho individual, a conseguir entrar na área, mas a permitir a defesa de Trindade. E vai ser mesmo em cima dos 90 min, que a UD Leiria vai chegar ao empate. Centro largo na esquerda, e o possante Henrique Piló a elevar-se mais alto que a defensiva e o guarda-redes da equipa dos Unidos, e a restabelecer o empate no marcador.
    Resultado justo, num jogo mais disputado do que bem jogado, e onde os Unidos dividiu o jogo e mostrou muitas melhorias em relação às épocas anteriores. Já a UD Leiria pareceu algo passiva, a deixar correr o relógio, e só com o golo sofrido pareceu mais pressionante.
    Quanto a arbitragem de André Moreira, arbitragem regular, sem qualquer influência no resultado.
    -----
    A opinião dos treinadores:
    Hugo Caminho (GDCR Unidos): A 1ªparte foi muito disputada a meio-campo, na 2ªparte o jogo abriu mais, e chegámos ao golo numa altura em que já o justificávamos. Depois acabámos por sofrer o golo do empate já bem perto do fim do jogo. No global, acho que o empate é um resultado justo.
    Luís Bilro (UD Leiria): O resultado acaba por se enquadrar com o que aconteceu. Sofremos um golo, e tivemos que ir atrás do prejuízo. Conseguimos o empate e ainda tivemos uma boa ocasião para ganhar. Estamos nesta competição de uma forma séria.

    ResponderEliminar
  11. Vi dois jogos do leiria e o piló entra sempre muito bem (casal dos claros e contra alqueidao), nao percebo porque nao é titular.

    ResponderEliminar
  12. União Desportiva de Leiria
    CARTA ABERTA AOS ATLETAS SÉNIORES DA 'MÁGICA UNIÃO'

    Esta época corresponde a um renascimento de um clube com décadas de história e vitórias. Desde 1966 que a UDL representa a cidade de Leiria e os leirienses com brio e alegria. Os jogadores da equipa de 1966 ainda são lembrados, justamente, pelos adeptos. Pois neste renascimento, são os vossos nomes que queremos lembrar durante décadas.
    O que é verdade é que apesar das excelentes equipas jovens e dos seus resultados, é a equipa sénior que representa o clube na primeira linha, e por isso, vocês são a cara de um projeto, de um clube, que quer voltar a representar os seus sócios e simpatizantes de forma dedicada e honesta.
    Não há palavras para descrever aquilo que vemos da bancada. Orgulha-nos que sejam um grupo unido, que 'bate no peito' depois dos golos, que cumprimenta os adeptos no final, que claramente assumiu os valores do clube como dele próprio. E os resultados mostram tudo isto e muito mais.
    No entanto, só agora, com o início do campeonato, começa a verdadeira 'maratona'! É absolutamente essencial que a UDL cresça e portanto, é essencial apontar ao lugar cimeiro do campeonato. Sabemos bem que vos pedimos mais do que vocês são obrigados a dar - enquanto atletas amadores, vocês têm empregos, famílias e vidas pessoais que com certeza, só com sacrifício se conseguem conjugar com treinos e jogos com esta exigência. E como pagamento, apenas vos podemos prometer o nosso apoio na vitória e na derrota, a continuação das romarias nos jogos fora e o nosso aplauso quando a carreira na UDL vos levar a assinar por um clube que dispute os campeonatos maiores.
    Vocês são a equipa do renascimento e por isso, ainda vos pedimos que representem os valores do clube noutros aspetos: que os mais novos aprendam com os mais velhos e os mais velhos ensinem os mais novos; que todos respeitem o homem que mais vezes vestiu a camisola da UDL - 'capitão Bilro' - e que queremos que seja o que mais vezes se vai sentar no banco do clube; que a dedicação e companheirismo continuem evidentes; que não esmoreça a excelente relação com os adeptos!
    Hoje começa a maior e mais difícil de todas as etapas. Sabemos que temos os homens e atletas certos para a vencer!
    Vençam por vós, pelo grupo, pelo treinador, pelos adeptos e pelo clube!
    FORÇA RAPAZES!

    02.12.2012

    (carta escrita por um grupo de sócios e adeptos da UD LEIRIA e lida pelos próprios, no balneário, minutos antes do jogo do passado Domingo

    ResponderEliminar
  13. 1ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Estádio Municipal de Leiria
    Árbitro: Luís Marcelino
    .

    UNIÃO DE LEIRIA 5
    Treinador: Luís Bilro
    Vítor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio, Edgar Fernandes, Jeferson, Dário Marquês, Leandrito (Yago, aos 76 min.), Bruno Novo (Tiago Freitas, aos 87 min.), Fábio Santiago, Edgar Grincho (Giovanni, aos 45 min.)
    Suplentes: Carlos, Tiago Gonçalves, João Lopez e Nicolas
    .
    UNIDOS 1
    Treinador: Hugo Caminho
    João Feliciano, João do Toco, Hugo Monteiro (Cap.), Rui Macedo, André Carvalho, Ricardo Caminho, Rui Natário (Fábio Sousa, aos 45 min.), Felipe André (Dárcio Feliciano, aos 24 min.) (Bruno Correia, aos 76 min.), David Lopes, Fábio Leiria e Nelo
    Suplentes: Tiago Grácio, Tiago Carmo, Tito Osório, Diogo Confraria.
    .
    Ao intervalo: 4-0.
    Marcadores: 1-0 Fábio Santiago (aos 7min.), 2-0 Dário Marquês (aos 9 min.), 3-0 Dário Marquês (aos 15 min.), 4-0 Bruno Novo (aos 24 min.), 4-1 Dárcio Feliciano (aos 59 min.), 5-1 Leandrito (aos 71 min.)
    .
    A UD Leiria estreou-se este domingo no campeonato distrital e melhor estreia seria difícil de imaginar. Logo aos sete minutos, grande jogada do ataque leiriense, com Fábio Santiago a progredir no terreno em sucessivas tabelinhas, a conseguir isolar-se e, frente a João Feliciano, a desviar a bola deste e a fazer o golo inaugural do desafio.
    E foram precisos apenas mais dois minutos, aos 9 minutos, para a equipa da UD Leiria ampliar a vantagem para 2-0. Bola perdida pela equipa dos Unidos na sua transição defesa ataque, com Dário Marquês a aparecer em velocidade vindo de trás, a contornar o desamparado João Feliciano, e à vontade a fazer o 2-0.A perder por 2-0 logo aos 9 minutos, a equipa dos Unidos procurava sacudir a enorme pressão da UD Leiria e, aos 14 minutos, Nelo tem um centro/remate, com a bola a acabar por ir ter aos pés de David Lopes, que remata para uma defesa segura de Vítor Maranhão.
    Na resposta a este lance, aos 15 minutos, lance na direita do ataque da UD Leiria, com a bola a chegar ao interior da área dos Unidos, e com Dário Marquês à vontade a receber e a rematar para golo sem qualquer hipóteses para João Feliciano. Tudo isto perante enorme passividade da defensiva dos Unidos.
    A perder por 3-0, os Unidos ia mostrando muitas dificuldades em conseguir reagir a este início de jogo avassalador dos comandados por Luís Bilro, que aos 24 minutos, vão mesmo chegar ao 4-0. Bola colocada nas costas da defesa dos Unidos, Bruno Novo a aparecer rápido em diagonal e a saída de João Feliciano rematou certeiro e fez o 4-0.
    Mesmo a ganhar por 4-0, a UD Leiria não baixava a pressão e, aos 28 minutos, depois de um livre na direita, Marco Aurélio a cabecear com muito perigo, para boa defesa de João Feliciano. Os Unidos iam respondendo como conseguiam, e aos 29 minutos, Nelo tem uma boa ocasião, depois de receber uma bola a entrada da área da equipa da UD Leiria, mas remata muito por cima.
    Aos 34 minutos, é a vez da UD Leiria criar novamente muito perigo. Dário Marquês é lançado na direita, ganha posição e, à saída de João Feliciano, remata com muito perigo, mas a bola acaba por sair para fora.

    ResponderEliminar
  14. A segunda parte iniciou-se com o recém entrado Giovanni a ter uma boa oportunidade de golo, mas acaba por rematar muito fraco.
    Os Unidos entraram melhor nesta na fase, e aos 59 minutos Dárcio Feliciano vai mesmo fazer o 4-1 para a equipa dos Unidos, num grande remate fora da área, a fazer o melhor golo da tarde.
    Aos 64 minutos, Rui Bento tem uma grande arrancada na direita, centra milimetricamente, e Giovanni remata de cabeça com a bola a passar ligeiramente ao lado da baliza de João Feliciano.Quatro minutos depois, aos 68, é Leandrito, que, depois de uma jogada individual, obriga João Feliciano a mais uma boa defesa.Até que aos 71 minutos a UD Leiria vai mesmo chegar ao 5-1.Leandrito ganha espaço dentro da área, a trabalha bem, e à saída de João Feliciano desvia a bola deste com um chapéu, com Giovanni ainda a tocar na bola, mas pareceu-nos que o fez com a bola já para lá da linha de golo.
    Estava feito o resultado final.
    Vitória justa da UD Leiria, que teve um início de jogo verdadeiramente avassalador, perante uma equipa do GDCR Unidos que pagou caro o mau início de jogo, onde aos 24 minutos já se encontrava a perder por 4-0.Quanto a arbitragem de Luís teve pequenos erros de pormenor, mas no cômputo geral, teve uma actuação positiva e sem qualquer interferência no resultado

    ResponderEliminar
  15. Recomeçar dos distritais, como em 1966. A União de Leiria estreou-se no domingo na 1.ª Divisão distrital com uma goleada (5-1). O JORNAL DE LEIRIA acompanhou todos os momentos deste regresso histórico às origens.
    .

    Domingo, dia 2 de Dezembro de 2012: chegou o primeiro dia do resto da vida da União Desportiva de Leiria. Frente a Os Unidos, de Casal dos Claros e Coucinheira, a equipa de Luís Bilro estreia-se na 1.ª Divisão, zona Sul, da Associação de Futebol de Leiria. É o dia do começar de novo, como em 1966, ano de fundação do clube, e de deixar para trás os momentos tristes. É hora de olhar para o símbolo, pensar na história e encarar o futuro com muita ambição. O JORNAL DE LEIRIA resolveu associar--se à data e acompanhou bem de perto todos os passos do grupo de trabalho, num dia que acabou de sorrisos nos lábios de todos os unionistas.
    Há dias assim, felizes. São 11 horas e o plantel concentra-se para o almoço no Hotel Cristal, na Marinha Grande. Um quarto de hora depois, chega então a sopa de legumes e o frango assado com esparguete, uma verdadeira refeição para atleta. Apesar de a equipa sénior já ter feito cinco jogos para a Taça do Distrito de Leiria, em que somou quatro vitórias e um empate – precisamente com Os Unidos – é hoje o dia em que tudo começa a doer. Apesar da vontade de ganhar e do respeito pelo adversário, todos os jogadores estavam bem dispostos e com apetite. Não só de frango, mas sobretudo de vitórias. Até porque um emblema com a história da União só pode entrar em campo para ganhar. Seja com quem for.
    .

    Palestra
    É meio-dia e meia hora. Terminado o almoço, vista a televisão, jogado o snooker, os jogadores concentram-se numa sala. Mister Luís Bilro, o homem que mais vezes representou o símbolo do castelo na 1.ª Divisão, vai falar. Está na altura de focar os jogadores nos 90 minutos que aí vêm. “Hoje iniciamos uma nova era deste clube”, arrancou. “A União de Leiria tem um história rica, mas por motivos que nada têm a ver connosco, vê-se inserida nesta nova realidade. E somos nós que marcamos este momento histórico e tudo o que conseguirmos será uma referência dentro desta instituição.”
    Silêncio. O plantel é composto por uma mescla de jogadores novos e outros veteranos, mas todos sentem e bem o peso do emblema que esteve presente em competições europeias, foi finalista da Taça de Portugal e que foi representado por nomes grandes do futebol mundial. Luís Bilro dá o exemplo. “José Mourinho e seu pai, Félix, defenderam esta camisola e esse é um motivo de orgulho para eles”, garante.
    Trata-se, pois, do “renascer do clube”, frisa o técnico. “Liderar este projecto a começar do nada e lutar por um objectivo que está bem definido é um motivo de grande honra.” E de grande stress, também... “Vivo as coisas intensamente. Tenho tentado corrigir-me, mas isto está a tirar-me o sono”, confessa o eterno capitão. “Já estive num Mundial de futebol de praia e numa final da Taça de Portugal, mas não tem nada a ver com isto. Porquê? Não sei”, diz Luís Bilro. O guarda-redes Vítor Maranhão ironiza. “Se estivesse no Sporting já tinha morrido.” Risos na sala.
    O técnico fala ao ego dos jogadores. “Este é um grupo de futebolistas reconhecidos na região por ter muita capacidade. Acredito nas vossas qualidades e se vocês também acreditarem estaremos mais perto de ganhar.” Por isso, reforça, pretende atletas com “auto-estima elevada”. “Queremos subir de divisão”, diz Luís Bilro. ”Vocês estão muito acima da realidade em que estão integrados. É uma questão de interiorizar e colocar em prática. É chegar, jogar e fazer a diferença.” O treinador pede “rigor defensivo”, “jogo a 2 ou 3 toques”, “sair das marcações e aparecer”, “criar linhas de passe” e “remates”. “O futebol é movimento e se jogarmos assim vamos criar dificuldades do lado de lá, porque tecnicamente somos superiores.” Surpreendido com o passar do tempo, Bilro termina a palestra pedindo “nervo” aos atletas.

    ResponderEliminar
  16. .

    Balneário
    São 13:15 horas e a comitiva ruma ao Estádio Municipal de Leiria. Vinte minutos depois já está tudo no Magalhães Pessoa. No passeio pelo tapete verde, o brasileiro Jefferson queixa-se... do frio. O estado do relvado não merece consenso e alguns jogadores brincam com uma sonhada final da Taça entre a União e o Marrazes, com 30 mil na bancada. A maioria fala de futebol, outros isolam-se no banco de suplentes em período de concentração.
    Falta uma hora. Os atletas vão para o balneário e equipam-se. O ambiente é descontraído. Brinca-se, com muito riso à mistura, com a cor de boxers de uns e outros. “Só um apontamento rápido”, pede o treinador. “O que vai acontecer agora é importantíssimo e diz muito do que vai ser o nosso sucesso no presente e no futuro. A 45 minutos do apito inicial, quatro membros da claque entram no balneário. Nuno Violante lê uma “carta aberta aos atletas seniores da mágica União” , onde espelha a alma unionista e exorta os jogadores a continuarem a dignificar e glorificar a camisola branca. Um momento emotivo que deixou muitos com pele de galinha.
    Depois de os adeptos saírem do balneário, Bilro toma a palavra. “O que acabámos de assistir é um exemplo vivo do que vos tenho dito. É esta grandeza, esta importância que nos dão, esta forma de nos fazerem sentir grandiosos. Agora, temos de saber corresponder e isso não é pressão nenhuma, porque sei do vosso valor.”
    Faltam 35 minutos para o jogo e a equipa ruma ao aquecimento. Giovanni, que vai ser suplente, fica a rezar. Quando faltam 10 minutos, novamente no balneário, Bilro volta a dirigir-se aos seus atletas. Em roda fechada, com todos abraçados, pede “atitude”. “Quero uma equipa agressiva, a lutar, com garra e vontade de vencer.” “Vamos começar a escrever uma página nova na vida deste clube e queremos que seja com uma grande vitória”, conclui o central Marco Aurélio.
    São 15 horas. O antigo presidente Joaquim Marques, e o ponta-de-lança Carlão, agora no Sporting de Braga, dão o pontapé-de--saída simbólico. O árbitro Luís Marcelino apita para o início da partida. Na bancada estão cerca de 600 espectadores. Vítor Maranhão, Rui Bento, Marco Aurélio, Mário Wilson, Edgar Carvalho, Santiago, Jefferson, Leandro, Bruno Novo, Dário Marquês e Edgar Grincho formam o primeiro onze da caminhada da União de Leiria rumo à Divisão de Honra.
    .

    Goleada
    E o jogo dificilmente poderia começar melhor. A meio da primeira parte, a União de Leiria já vencia por 4-0. Fábio Santiago aos 7, Dário Marquês aos 9 e aos 14, e Bruno Novo aos 24 minutos marcaram os golos. “O orgulho da cidade somos nós”, gritava a plenos pulmões a claque, entusiasmada com o arranque arrasador. A equipa baixa de nível e Os Unidos equilibram a partida. Até ao intervalo não houve mais golos e poucas foram as oportunidades. “Brutal, monstruoso”, diz Bilro já no balneário, onde os atletas se serviam de bananas, maçãs e bolachinhas para recuperar as forças. “Simplicidade de processos, todos os movimentos bem feitos, a abrir espaços para os colegas, mas depois deslumbrámo-nos”, adverte o treinador.“ A segunda parte arranca com a claque a gritar “Vocês são o nosso orgulho.” No entanto, o jogo permanece equilibrado. Dárcio reduz para a equipa da freguesia de Amor aos 59 minutos, mas Giovanni, entrado ao intervalo, emendou à boca da baliza um remate de Leandro e fez o 5-1. “A União está de volta”, festejavam os ultras.
    Quando Luís Marcelino terminou a partida, a equipa abeirou--se das bancadas e foi cumprimentar aqueles que mais puxam por eles. A empatia está criada, os resultados aparecem, parecem estar todos a puxar para o mesmo lado.
    “Excelente jogo e atitude”, concluiu Bilro, num balneário inundado pela tranquilidade e sentido de dever cumprido. “Jogámos bem, estamos a crescer. Espero que seja a primeira de muitas vitórias, mas ainda temos muito trabalho pela frente. A começar já no domingo, na Marinha Grande, frente a Os Vidreiros.”

    ResponderEliminar
  17. Seniores : UD Leiria vence GD "Os Vidreiros"
    ---------------
    Num jogo em que até ao intervalo a equipa do GD “Os Vidreiros” se revelou um adversário incómodo, na 2ªparte, e contando com o avançado Giovani Vieira em destaque, a equipa de Luís Bilro venceu por 0-3, num jogo em que a arbitragem foi muito contestada pelos homens de Picassinos.


    Jogo da 2ªJornada da 1ªDistrital/Sul - Seniores
    Campo nº3 do Estádio Municipal da Marinha Grande
    Árbitra : Daniela Oliveira, auxiliada por Hugo Pires e Nuno Pacheco


    GD “Os Vidreiros” 0 : Espanhol, Valdo (Frazão, aos 70 min.), Luís Leal (Cap.), Alex, Diogo Aprile, João Pedro (Silvio, aos 65 min.), Ricardo Cardoso, Diogo Carreira, David João, Bernardo, Tiago Alexandre (Hugo, aos 76 min.)
    Suplentes não utilizados: André Pinto, Bruno Santos, Héber e Zeca Marques
    Treinador: Nuno Valério
    Adjunto: Edgar Viana
    Delegado: Fernando Rosa
    .
    UD Leiria 3 : Vítor Maranhão, Rui Bento (Dani, aos 45 min.), Mário Wilson, Marco Aurélio, Edgar Fernandes, Jeferson (Giovani Vieira, aos 45 min.), Dário Marquês (Henrique Piló, aos 71 min.), Leandrito, Bruno Novo, Fábio Santiago, Edgar Grincho
    Suplentes não utilizados: Carlos, Tiago Gonçalves, Tiago Freitas e Yago
    Treinador: Luís Bilro
    Adjunto: Paulito
    Delegado: Miguel Grácio
    .
    Ao intervalo: 0-0
    Marcadores: 0-1 Bruno Novo g.p (aos 63 min.), 0-2 Giovani Vieira (aos 75 min.), 0-3 Marco Aurélio (aos 88 min.)
    Acão Disciplinar: Amarelo a David João (aos 12 min.), a Diogo Aprile (aos 24 min.), a Marco Aurélio (aos 37 min.), a Mário Wilson (aos 41 min.), a Giovani Vieira (aos 53 min.), a Edgar Fernandes (aos 59 min.), a João Pedro (aos 59 min.), a Espanhol (aos 62 min. e 75 min.), a Alex (aos 62 min.), a Luís Leal (aos 72 min.), a Leandro (aos 80 min.), a Ricardo Cardoso (aos 83 min.), a Sílvio (aos 85 min.), a David João (aos 85 min.). Vermelho por acumulação de amarelos a Espanhol (aos 75 min.)
    .



    Em jogo a contar para a 2ªJornada da 1ªDistrital/Sul, a equipa do GD “Os Vidreiros” recebeu no campo nrº3 do Estádio Municipal da Marinha Grande a equipa da UD Leiria, que vinha de uma moralizante vitória frente ao GDRC Unidos.
    Tal como se esperava, desde cedo a equipa comandada por Luís Bilro procurou tomar a iniciativa do jogo, mas pela frente ia encontrando uma equipa do GD “Os Vidreiros” muito bem organizada no plano defensivo e que procurava explorar rápidos contra-ataques. Aos 14 min., Vítor Maranhão complicou uma bola fácil numa reposição de bola, e Tiago Alexandre a criar algum perigo, mas Mário Wilson a aparecer bem e a resolver. Na resposta a este lance, ataque rápido da equipa da UD Leiria, com Dário Marquês a colocar em Edgar Fernandes, que de cabeça causa algum perigo junto da baliza de Espanhol.
    A UD Leiria ia tendo algumas dificuldades em penetrar na zona defensiva da equipa de Picassinos, pelo que ia recorrendo com muita frequência aos remates de longe. Foi o que aconteceu aos 25 min., quando Edgar Fernandes obriga Espanhol a uma defesa apertada para canto, e aos 30 min., quando Fábio Santiago tem um remate muito perigoso, com a bola a sair ligeiramente ao lado. Aos 35 min., é a vez de Leandrito proporcionar mais uma boa defesa a Espanhol. E vai ser mesmo em cima do intervalo, aos 44 min., que a UD Leiria vai ter mais uma boa oportunidade, num lance de Edgar Grincho, com Espanhol a sair rápido da baliza e a fechar o ângulo, e com Edgar Grincho a rematar por cima.

    ResponderEliminar
  18. O empate ao intervalo premiava a boa organização defensiva da equipa de Picassinos. Para a 2ªparte, Luís Birlo fez entrar Dani e Giovani Vieira, num claro sinal de uma aposta mais ofensiva para a segunda metade da partida.
    Apesar disso, vai ser dos Vidreiros a primeira ocasião de algum perigo na 2ªparte, quando aos 54 min., e depois de um contra-ataque rápido, Tiago Alexandre ganha posição, mas no momento final, acaba desarmado.
    Aos 60 min., é a vez da UD Leiria criar perigo. Livre de Bruno Novo, com a bola a sobrar dentro da pequena área para Edgar Grincho, que em boa posição, tenta colocar num colega de equipa, mas a defesa dos Vidreiros acaba por cortar para canto. Até que aos 62 min., num lance algo confuso no interior da área dos Vidreiros, Daniela Oliveira considera que Giovani foi agarrado, e marca grande penalidade a favorecer a equipa da UD Leiria. Na conversão da mesma, Bruno Novo faz o 0-1 para a UD Leiria. A vencer, a equipa de Luís Bilro não recuou e continuou sempre a ser a mais perigosa. Até que aos 75 min., a equipa da UD Leiria vai chegar ao 0-2, num lance muito contestado pelos locais. Livre á entrada da área, Edgar Grincho a rematar, a bola a embater na barra e a ressaltar para trás, com Giovani Vieira a aparecer, e beneficiando de um claro toque com a mão na bola, ganha posição e faz o 0-2. Lance muito contestado pela equipa dos Vidreiros, com Espanhol a acabar mesmo por ser expulso por protestos.
    A vencer por 0-2, e com um homem a mais no terreno, a UD Leiria continuou sempre mais perigosa, e aos 81 min., Giovani quase chega ao golo, depois de um passe de Henrique Piló na esquerda. Mas a UD Leiria vai mesmo chegar ao 0-3. Aos 88 min., livre de Bruno Novo, com Giovani a assistir Marco Aurélio, que a vontade faz o 0-3, que seria resultado final.
    Vitória justa da equipa da UD Leiria, que foi ao longo de todo o jogo a equipa que mais fez para chegar ao golo e que teve em Giovani Vieira o homem decisivo, pois entrou aos 45 min., sofreu um penalty, marcou um golo e fez a assistência para o outro. Quanto a equipa dos Vidreiros, esteve muito bem ao longo de toda a 1ªparte, mas na 2ªparte desconcentrou-se um pouco e sofreu três golos.
    Quanto a arbitragem de Daniela Oliveira, muito contestada pelos locais, teve na verdade algumas falhas graves. Se no lance do penalty fica o benefício da dúvida, pois a árbitra estava muito bem colocada, no 2ºgolo da UD Leiria, há um claro toque de Giovani com a mão na bola antes de fazer o golo, algo que não deveria ter passado em claro, pois o auxiliar tinha plena visão do lance. Também no plano disciplinar, teve algo inconstante, tendo mostrado 15 amarelos e 1 vermelho, num jogo que de violento não teve nada

    ResponderEliminar
  19. 3ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Jogo no Estádio Municipal de Leiria
    Árbitro: Rudy Silva (AF de Leiria)
    Árbitros Assistentes: Ricardo Morgado e João Moura
    Assistência: cerca de 400 pessoas


    UD Leiria 4 :
    Treinador: Luís Bilro
    Vitor Maranhão; Rui Bento, Marco Aurélio (cap.), Mário Wilson e Edgar Fernando; Fábio Santiago (Giovani, 58) e Jeferson; Leandro; Dani, Edgar Grincho (Henrique Piló, 68) e Dário Marquês (Yago, 85)
    Não utilizados: Carlos Vieira, Tiago Gonçalves, Ricardo Brás e Tiago Freitas
    .
    ACR Nadadouro 0 :
    Treinador: José Carlos Santos
    Miguel Silva; Ká, Diogo Garcia, João Monteiro e Djoe; Slavic (Márcio Santos, 71), Fábio Marques(Rafael, int.), André Santos e Ricardo Duarte; Hugo Jacinto (cap.- Luís Oliveira, 81) e André Thomaz
    Não utilizados: Francisco Fernandes, Rodrigo, Felício e Carlos Alves
    .
    Ao Intervalo: 2-0
    Golos: 1-0, por Edgar Grincho, aos 30minutos; 2-0, por Leandro, aos 40 minutos; 3-0, por Giovani, aos 70 minutos g.p.); 4-0, por Giovani, aos 75 minutos.
    Acção Disciplinar: Cartão amarelo a André Santos (20), Rui Bento (28), Miguel Silva (44), Dário Marquês (50), Edgar Grincho (61). Vermelho directo a José Carlos Santos, treinador dos visitantes (40), João Monteiro (44), Luís Oilveira (90+1) e Rafael (já no final do jogo), todos do Nadadouro
    .
    A União de Leiria averbou mais uma vitória, embora não tivesse iniciado bem o jogo frente ao Nadadouro, equipa dos arredores de Caldas da Rainha.
    A equipa de José Carlos Santos adotou uma estratégia bem definida em que os seus jogadores muito aplicados não davam grandes espaços aos unionistas que não colocavam em prática o bom futebol que nos habituaram, também por culpa de um relvado empapado. Mas gradualmente os comandados de Luís Bilro foram subindo de produção, sendo o primeiro remate de perigo da autoria de Edgar Fernandes que, de cabeça, enviou a bola por cima da barra de Miguel Silva. Um minuto depois foi a vez de Dani que, no seguimento de um canto, enviou também a bola por cima do travessão.
    Com um meio-campo já mais esclarecido, os anfitriões foram gradualmente asfixiando os seus opositores e valeram três excelentes defesas de Miguel Silva para evitar o golo. O saldo em cantos era de seis para os donos da casa e somente aos 26 minutos é que Maranhão defendeu facilmente uma bola rematada num livre por parte dos visitantes.
    Três minutos depois, no seguimento de um canto, a bola chega ao fundo da baliza de Maranhão e, quanto a nós, o golo foi bem invalidado porque o rematador estava em posição irregular. O técnico do Nadadouro foi expulso por protestos. Aos 30 minutos, e como corolário do maior ascendente ofensivo, Edgar Grincho, a passe de Dani, inaugura o marcador.
    Mais soltos, os donos da casa, por intermédio de Leandro, selam (2-0) o resultado dos primeiros 45 minutos.
    .
    Segundo tempo com a mesma tónica
    A equipa de Luís Bilro entrou a todo o gás, com os adversários a darem boa resposta, defendendo bem, mesmo com menos uma unidade em campo. A equipa caldense, aos 62 minutos, num livre indirecto, através de Hugo Jacinto, fez embater a bola no poste de Maranhão depois de um pequeno desvio. A primeira jogada de grande perigo dos donos da casa aconteceu aos 68 minutos, com Dani a oferecer o golo a Giovani, mas este não chegou à bola. Mas demorou só um minuto para o jogador brasileiro marcar o seu primeiro golo de grande penalidade, para, aos 75 minutos, a passe de Henrique Piló, bisar.
    Arbitragem positiva.
    .
    O que disseram os treinadores:
    Luís Bilro (U. De Leiria): "Estou satisfeito com os meus jogadores, embora pudessem ter jogado melhor. O que me entristece é a falta de ética dos nossos adversários que não reconhecem a nossa superioridade e afirmam que estamos a ser levados ao colo".
    José Carlos Santos (Nadadouro): "Foram duas equipas que trabalharam muito e dou os
    parabéns aos meus jogadores que cumpriram aquilo que delineámos durante a semana. A U. de Leiria tem o staff da I Divisão e não precisa da ajuda dos árbitros para subir. Foi-nos anulado um golo nesta partida".

    ResponderEliminar
  20. Na equipa falta ai o Edgar Fernandes, ex-Guiense e ex-Pousaflores, que chegou mais tarde a equipa. Foi um bom reforço.

    ResponderEliminar
  21. 4ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Campo do Outeiro, na Maceirinha
    Árbitro: Nélson Pereira, assistido por Domingos Miguel e Eduardo Brites.
    Assistência: 500 espectadores.
    .

    ACR Maceirinha 0: Celso; Ruizinho, Santana, Rui Oliveira, Márcio (David, 70m), Ricardo Filipe, João Russo, Hélder (Rui Silva, 76m), Mica, Allan e Fábio (Ruben, 55m).
    Suplentes: Sandro, Gigas, Rui Pereira e Telmo Pereira.
    Treinador: Nélson Cruz.
    .
    União de Leiria 5: Vitor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio, Edgar Fernandes, Fábio Santiago, Jefferson (Dani, 57m), Leandro, Bruno Novo, Dário Marquês (Henrique Piló, 70m) e Edgar Grincho (Giovani, int.).
    Suplentes: Carlos, Tiago Gonçalves, Tiago Freitas e Yago.
    Treinador: Luís Bilro.
    .
    Ao intervalo: 0-0.
    Golos: 0-1 por Marco Aurélio (65m); 0-2 por Dani (66m); 0-3 por Henrique Piló (75m), 0-4 por Giovani (88m), 0-5 por Henrique Piló (90m).
    Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Celso (13m), Mica (22m), Edgar Grincho (33m), Bruno Novo (34m), Rui Oliveira (87m).



    .
    A União de Leiria conquistou mais uma vitória na I Divisão Distrital ao bater a Maceirinha por 5-0. Apesar da diferença dos números, os leirienses sentiram algumas dificuldades para levar de vencida a equipa de Nélson Cruz isto porque deram os primeiros 45 minutos ao desbarato.
    Numa primeira parte muito sofrível, o futebol praticado foi de má qualidade e as oportunidades de golo foram uma raridade. Aliás, o momento alto da primeira parte surgiu quando o árbitro da partida não assinalou uma falta clara sobre Bruno Novo que suscitou a ira dos muitos adeptos leirienses, com alguns objectos a serem arremessados para dentro do campo obrigando a uma paragem prolongada da partida.
    Para além deste momento de lamentar, a primeira parte não teve motivos de interesse com a U. Leiria a só conseguir criar perigo em dois lances: primeiro foi Dário Marquês a rematar cruzado ao lado da baliza; e depois foi Edgar Grincho a desperdiçar incrivelmente de cabeça após boa jogada na esquerda de Jefferson. Quando à Maceirinha, a equipa apresentou uma atitude muito competitiva, mas não conseguiu chegar com perigo à baliza de Maranhão.


    Luís Bilro ao intervalo deve ter dado um valente puxão de orelhas ao seus jogadores o que se repercutiu na qualidade de jogo do segundo tempo, já que os leirienses finalmente ‘acordaram’ e conseguiram dominar em toda a linha, materializando a sua superioridade em golos.
    Contudo, no início do segundo tempo, quem brilhou foi Celso, o guarda-redes da Maceirinha que foi adiando o golo dos visitantes por diversas vezes. Primeiro foi Dário Marquês a cabecear para grande defesa de Celso, após excelente cruzamento de Rui Bento, e depois os mesmos intervenientes estiveram em acção com Celso a voltar a negar o golo a Dário.
    Nesta fase, a equipa da casa mal conseguia sair do seu meio-campo e, aos 64 minutos, numa boa incursão de Marco Aurélio no ataque, o defesa serviu Dani que rematou para outra grande defesa de Celso. Na sequência do canto, Edgar Fernandes desvio ao primeiro poste, e Marco Aurélio só teve que confirmar o golo encostando para a baliza.

    ResponderEliminar
  22. Estava feito o mais difícil para os leirienses e melhor ficou um minuto depois. No reatamento da partida, Leandro ganhou uma bola dividida e Dani galgou no terreno até rematar certeiro para o 2-0.
    A 15 minutos do fim, num cruzamento para a entrada da área, há um desvio que deixa Piló sozinho, com o avançado, à segunda, a conseguir fazer o 3-0. Já perto do apito final, os leirienses marcaram mais dois golos. Primeiro num cruzamento de Dani com Giovani a cabecear para o 4-0 apesar da oposição; e depois com Marco Aurélio a atirar longo para a frente onde apareceu Piló a fazer o 5-0.


    Vitória justa da União de Leiria apesar da má imagem deixada no primeiro tempo. Entrada em campo de Dani mexeu com a equipa e trouxe a qualidade que os leirienses necessitavam. A Maceirinha bateu-se bem nos primeiros 45 minutos, mas na segunda parte foram somando erros que foram penalizados com uma derrota pesada.
    Má arbitragem de Nélson Pereira. Num jogo que não lhe trouxe grandes problemas, conseguiu irritar as duas equipas com decisões incompreensíveis. Contudo, sem interferência no resultado final.

    ResponderEliminar
  23. 5ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Jogo no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria
    Árbitro: Nuno Cadete (AF Leiria)
    Árbitros Assistentes: João Amado e Héber Principe
    Espectadores: cerca de 500
    .
    UD Leiria 4
    Treinador: Luís Bilro
    Vítor Maranhão; Rui Bento (Dani, 66), Mário Wilson, Marco Aurélio (cap.) e Edgar Fernandes (Dário Marquês, 43); Fábio Santiago, Jeferson e Leandro; Bruno Novo, Henrique Piló (Giovanni, 82) e Edgar Grincho
    Suplentes: Carlos Vieira, Tiago Gonçalves, Ricardo Brás e Tiago Freitas
    .
    GDR Boavista 0
    Treinador: António Paiva
    Stefano; João Silva (André Monteiro, 75), Pedro Rafael (cap.), Necas e Isac; Lopes; Márcio (Tiago Santos, 57), Paulo, Sardinha (Dani, 85) e Nuno Sousa; Paulito
    Suplentes : Cacola, Mika, Joãozito e André Félix
    .
    Ao Intervalo: 2-0
    Golos: 1-0, por Edgar Grincho, aos 14 minutos; 2-0, por Henrique Piló, aos 26 minutos; 3-0, por Henrique Piló, aos 76 minutos; 4-0, por Giovani, aos 88 minutos.
    Acção Disciplinar: cartão amarelo a Paulito (26 e 60), Sardinha (58), Nuno Sousa (64), Fábio Santiago (70) e Isac (88). Vermelho por acumulação de cartões amarelos a Paulito (60).
    .



    Com uma boa moldura humana no Estádio Municipal de Leiria, os unionistas entraram melhor no jogo revelando querer ser os "mandões" e logo aos três minutos Stefano negou o golo, defendendo a bola com categoria enviando-a para canto. Com mais posse de bola, os anfitriões por vezes erravam alguns passes, muitas das vezes registando-se a prisão de bola na relva que estava muito empapada. Aos 10 minutos, num livre de "laboratório", a bola foi rematada com um pontapé fraco à figura de Stefano. Mas quatro minutos depois, Edgar Grincho sem grande dificuldade inaugurou o marcador no seguimento de um canto marcado por Bruno Novo. O Boavista, aos 15 minutos, através do experiente Pedro Rafael, enviou a bola por cima da barra da baliza de Vítor Maranhão num livre directo. A equipa de António Paiva privilegiava o contra-ataque, com Paulito como jogador mais adiantado no terreno Bruno Novo, aos 25 minutos, criou grande perigo, mas só beneficiou de um canto. Um minuto depois este jogador ofereceu o segundo golo a Henrique Piló.
    O Bovista replicou, teve um período de alguns minutos em que perdeu o respeito aos 'mais fortes', mas somente beneficiou de um livre e de um canto, sem grande perigo. Já perto do intervalo Bruno Novo marcou, mas o golo foi invalidado por pretenso fora de jogo e Edgar Fernandes teve tudo para fazer o 3-0, mas enviou a bola ao lado da baliza de Stefano.

    ResponderEliminar
  24. Na segunda parte, a União cedo criou dois lances de grande perigo, mas a finalização não surgiu, também por mérito da defensiva visitante. António Paiva mandou subir mais a sua equipa no terreno e teve alguns lances de cariz ofensivo que obrigaram a defensiva local a aplicar-se com afinco. Paulito, ao ser expulso, admoestado com o segundo amarelo, decisão que nos pareceu muito rigorosa, deitou por terra qualquer reacção dos visitantes. Até que Henrique Piló dilatou o resultado, bisando no jogo, tal como tinha acontecido na semana transacta. Dani, que tinha entrado bem no jogo, rematou forte para golo, mas um defensor visitante enviou a bola para canto. Giovani também voltou a marcar e encerrou a contagem. Este jogador ainda teve oportunidade de bisar, aos 90+4 minutos, mas Stefano defendeu com categoria.
    Arbitragem no cômputo geral positiva, não obstante alguns erros, especialmente nos fora-dejogo e na expulsão que nos pareceu exagerada.
    -----------
    O que disseram os treinadores
    Luís Bilro (U. Leiria): "Sinto-me satisfeito com a determinação e o trabalho que a minha equipa desenvolveu durante o jogo. Vencemos por mérito próprio porque fomos sempre superiores. Respeitamos todos os adversários como será o caso do nosso adversário do próximo domingo".
    António Paiva (Boavista): "A União venceu justamente, mas fizemos bom trabalho dentro das nossas limitações. Estivemos organizados e provámos jogar bom futebol para discutir o jogo não fosse a expulsão do nosso jogador que me pareceu injusta. A União também beneficiou do relvado estar empapado porque tem jogadores mais possantes".


    Tuna Caranguejeiro - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  25. Ao entrar aos 75 minutos Dani marcou o segundo golo e esteve no terceiro. Houve muita luta e pouco futebol em quase toda a partida.
    .

    6ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Jogo no Parque d Jogos de Alqueidão da Serra
    Árbitro: Pedro Martins (AF Leiria)
    Árbitros Assistentes: Sebastian Braeckel e Luís Sacramento
    Espectadores: cerca de 150 pessoas
    .

    CCR Alqueidão da Serra - 1
    Treinador: António Plim.
    Manique; Lomba, Rui Plim, Rui Carreira e Norberto; André e Conca (cap.); Pardal (Luís Correia, 54) e Ricardo Silva; Miguel Carvalho (Capucho) e Bexiga
    Não Utilizados: Dony, Miguel Rodrigues e Pedro Boal.
    .
    UD Leiria - 3
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (cap.) e Dário Marquês; Jeferson, Fábio Santiago e Leandro; Bruno Novo (Tiago Santos, 89), Henrique Piló (Giovani, int.) e Edgar Grincho (Dani, 75).
    .
    Ao Intervalo: 1-1
    Golos: 0-1, por André (p.b.), aos cinco minutos; 1-1, por Rui Carreira, aos 18 minutos; 1-2, por Dani, aos 76 minutos; 1-3, por Leandro, aos 86 minutos.
    Acção Disciplinar: cartão amarelo a Pardal (3), Marco Aurélio (11), Henrique Piló (45), Miguel Carvalho (55), Bexiga (60), Rui Carreira (70) e Rui Bento (84). Expulsão de Miguel Grácio do banco, delegado unionista, aos 30 minutos. Cartão vermelho a Rui Plim (76).
    .
    Esta partida entre as duas melhores equipas da zona sul,era aguardada com muita expectativa daí uma bonita moldura humana nas bancadas alqueidoenses, não obstante a muita chuva que caiu e onde sobressaía a dedicada claque leiriense que se mostrou ruidosa em todo o jogo. A chuva acompanhou os jogadores em quase toda a partida e o campo sintético, cheio de poças, foi o primeiro e principal obstáculo dos atletas. Não admirou que o futebol praticado fosse de fraco nível técnico, embora de grande entrega de todos os jogadores. Os comandados de Luís Bilro procuravam trocar mais a bola entre eles, mas por vezes esta ficava para trás. Mas, entrando melhor no jogo, aos cinco minutos no seguimento de um canto apontado por Bruno Nuno, André com grande infelicidade introduziu a bola na sua própria baliza. A bola viajava muito pelo ar e os pupilos de António Plim procuravam o futebol mais directo, o aconselhado, contudo a defensiva leiriense em bom plano não dava hipóteses aos adversários. A partir dos 11 minutos o Alqueidão melhorou de produção de jogo, com algumas incursões dos seus jogadores que beneficiaram de alguns livres e cantos, que perigaram as redes de Vítor Maranhão. Porém, foi a União que teve a chance de dilatar o resultado através de Edgar Grincho, aos 14 minutos, depois de um remate forte e perigoso que fez levar a bola a passar por cima da barra de Manique. Até que aos 18 minutos num livre marcado pelo experiente Norberto, o central Rui Carreira no coração da área visitante igualou o marcador. O jogo entrou numa fase de equilíbrio com muita luta, especialmente a meio-campo e só já perto do intervalo os lances de perigo rondaram as redes de Manique. O primeiro aos 40 minutos no seguimento de um canto que causou muito perigo, devido Manique ter largado a bola. Valeu a ajuda preciosa de Bexiga que enviou a bola para longe. Mas o promissor Manique três minutos depois realizou uma excelente defesa a remate de cabeça de Edgar Grincho que tentou o chapéu. Em cima dos 45 minutos, Henrique Piló tentou o golo, a bola ainda não tinha sido defendida por Manique e houve o choque entre os jogadores. Os alqueidoenses queriam a expulsão do atleta, mas pareceu-nos não merecer tal punição. Foi admoestado com a cartolina amarela.

    ResponderEliminar
  26. No segundo tempo, a União entrou mais determinada, embora os alqueidoenses respondessem muito bem, não deixando que o perigo rondasse a sua baliza. O futebol não contava com jogadas de grande recorte técnico, porque o campo continuava com muitas poças e até apareceu um nevoeiro onde a visibilidade não era normal. Aos 65 minutos, num livre favorável aos unionistas a bola bateu na mão de um defensor da casa e os protestos dos visitantes, incluindo a claque, fizeram-se ouvir. Leandro, aos 74 minutos rematou com grande perigo, fazendo passar a bola a rasar o poste direito da baliza de Manique. O Alqueidão da Serra não apoquentava Vítor Maranhão e a chave do jogo que abriu a 'muralha' anfitriã entrou em campo um minuto depois. Dani, no seguimento de um livre, e na primeira vez que tocou na bola, marcou o segundo golo da equipa com um remate forte. Com a expulsão de Rui Plim, que nos pareceu forçada, o Alqueidão 'morreu' e Bruno Novo, aos 79 minutos ainda teve arte e engenho para enviar a bola à barra da baliza de Manique. Mas Dani, inspirado, passou a bola primorosamente a Leandro que a dominou com o peito e a deixou cair para o pé direito para obter um golo de belo efeito para gáudio dos seus adeptos, especialmente da claque que mantém uma empatia com os jogadores de aplaudir.
    Arbitragem irregular em muitas fases do jogo, também muito por culpa do estado do terreno. Não foi por causa do trio que os visitados saíram derrotados.
    .
    Os que disseram os treinadores:
    António Plim (Alqueidão da Serra): "Costuma-se dizer ganha quem marca. Foi isso que aconteceu frente à União. As condições péssimas do terreno não deu para mais, embora na primeira parte o jogo tivesse sido equilibrado. A União marcou o primeiro golo de bola parada e o segundo deitou-nos abaixo".
    Luís Bilro (U. de Leiria): "Temos uma excelente equipa que trabalha arduamente para conquistar vitórias. Apenas os hipócritas se refugiam com a questão das arbitragens para justificarem os seus insucessos. Merecemos a vitória porque fomos melhores que o Alqueidão da Serra".

    Texto - Tuna Caranguejeiro (Diário de Leiria)
    Foto - Flash Foto

    ResponderEliminar
  27. 7ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Estádio Municipal de Leiria
    Assistência: Cerca de 200 espectadores.
    Árbitro: António Nobre, auxiliado por Micael Rodrigues e Domingos Miguel.
    .

    União de Leiria 3
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão, Rui Bento (Tiago Freitas, 85m), Mário Wilson, Marco Aurélio (Cap.), Dário Marquês, Fábio Santiago, Dani, Jeferson, Leandrito, Bruno Novo (Henrique Piló, 76m), Giovani (Edgar Grincho, 57 m).
    Suplentes: Carlos, Tiago Gonçalves, Yago, Nicolas.
    .
    GD Santo Amaro 0
    Treinador: Sandro Ferreira.
    Ricardo, João André (Cap.), André, Diogo, Joca, Rodrigo, Cláudio, André Franco, Rui Sobreira (Ricardo Lourenço, 75m), Pragosa (Gabi, 56m), Filipe (Fula, 65m)
    Suplentes: Xandão, Diogo Costa, Gil, Mauro.
    .
    Ao intervalo: 0-0.
    Marcadores: 1-0 Dani (62 min.), 2-0 Leandrito (72 min.), 3-0 Dani (80 min.).
    Acção Disciplinar: Cartão amarelo a André (15 min.), Leandrito (43 min.), André Franco (48 min.), João André (61 min.), Joca (70 min.), Tiago Freitas (90+1 min.).

    Em mais uma jornada do Campeonato Distrital da I Divisão/Sul, a equipa da UD Leiria, líder da competição, recebeu no Municipal de Leiria a equipa do Santo Amaro, vencendo por 3-0.
    Com um relvado bastante pesado, que à medida que os minutos foram passando se tornou cada vez mais um obstáculo ao bom futebol, o jogo começou bastante equilibrado, com a equipa da UD Leiria a tentar impor o seu jogo, mas a encontrar sempre muitas dificuldades em ultrapassar a bem organizada defensiva do Santo Amaro, que mostrava ter a lição bem estudada.
    E foi mesmo a equipa comandada por Sandro Ferreira a primeira a criar algum perigo, quando, aos 11 minutos, Rui Sobreira é lançado em velocidade, mas Vítor Maranhão, rápido a sair da baliza, antecipaou-se, cortou o lance e evitou o perigo para a sua baliza. Ficava o aviso.
    A UD Leiria ia sentindo muitas dificuldades em impor o seu habitual jogo, pois para além de um adversário aguerrido e organizado, as condições do terreno iam-se deteriorando e prejudicavam mais a equipa que procurava "mandar" no jogo.
    Ainda assim, aos 25 minutos, depois de um livre de Bruno Novo, Giovani apareceu de cabeça e obrigou Ricardo a uma defesa segura. Dois minutos depois, novamente Giovani, de livre, a ter um remate forte, para mais uma defesa apertada de Ricardo para canto.
    Aos 32 minutos, e para não variar, o mesmo Giovani, trabalhou bem a bola, e à entrada da área, rematou forte, e criou muito perigo para a baliza de Ricardo.
    O Santo Amaro ia defendendo bem e procurava lançar rápidos contra-ataques, com Filipe e André Franco, muito móveis, a procurar contrariar o balanço ofensivo da UD Leiria.

    A segunda parte iniciou-se com um lance de muito perigo para a UD Leiria, num lance de insistência. Leandrito rematou com muito perigo, com a bola ainda a embater na trave da baliza de Ricardo. A UD Leiria estava mais pressionante, e embora o Santo Amaro continuasse a defender de uma forma muito voluntariosa, era notório o recuar gradual da equipa no terreno, com o cansaço também a começar a dar sinais. Mesmo assim, aos 53 minutos, Pragosa teve um bom remate, a criar algum perigo.
    Luís Bilro não estava satisfeito com o desenrolar dos acontecimentos e colocou em campo Edgar Grincho para o lugar de Giovani. E vai ser dos pés de Edgar Grincho que se vai iniciar o lance do primeiro golo. Jogada na direita, Edgar Grincho a progredir, a centrar rasteiro e a aparecer repentino Dani, a rematar sem hipóteses para Ricardo.
    A perder por 1-0, a equipa do Santo Amaro respondeu de pronto, e em dois lances valeu a atenção e experiência de Vítor Maranhão. Primeiro, aos 63 minutos, a antecipar-se a um contra-ataque rápido do Santo Amaro, e depois, aos 71 minutos, a sair da baliza e a fechar o ângulo a Gabi, quando este estava em excelente posição, acabando, por, sem ângulo, cabecear para fora.

    Eram os últimos suspiros atacantes do Santo Amaro. A partir daqui, só deu UD Leiria. Aos 72 minutos, depois de um remate forte de Jefferson à barra da baliza de Ricardo, Leandrito, oportuno, rematou com êxito e fez o 2-0.

    ResponderEliminar
  28. Era notório o cansaço da equipa do Santo Amaro, e aos 77 minutos, Jefferson, um dos melhores em campo, trabalhou bem na esquerda, virou o flanco, mas Edgar Grincho, em boa posição, tentou a assistência para um colega, mas ninguém apareceu a finalizar.
    Até que aos 80 minutos, a UD Leiria chegou ao 3-0. Lance iniciado em Jefferson, que colocou em Dani que, vindo de trás, arrancou fulgurante em direcção à baliza de Ricardo e finalizou mais uma vez com êxito. Estava feito o resultado final.
    Vitória indiscutível da UD Leiria, que encontrou no terreno pesado um adversário extra neste jogo, mas pelo que fez ao longo dos 90 minutos justificou por inteiro a vitória neste jogo. Quanto ao Santo Amaro, muito bem organizada e voluntariosa, foi um derrotado digno, que enquanto teve forças complicou e muito a tarefa dos comandados de Luís Bilro, e pelo que fez talvez merecesse um tento de honra.

    ResponderEliminar
  29. O Edgar Fernandes, que jogou na Guia e Pousaflores, ja nao joga no Leiria?

    ResponderEliminar
  30. No próximo sábado vai disputar-se um jogo que já não se realiza há cerca de 20 anos e que suscita a paixão de muitos adeptos. Falamos do confronto entre a União de Leiria e o SCL Marrazes, uma rivalidade histórica que não tem sido colocava à prova pelo 'desencontro' de divisões entre as duas equipas. Contudo, em jogo a contar para a Taça Distrital, o dérbi concelhio volta a estar nas bocas dos adeptos que prometem dar um colorido especial ao Estádio Municipal de Leiria.
    Apesar da forte rivalidade entre os dois emblemas, os presidentes da União de Leiria e do SCL Marrazes olham para o dérbi como tratando-se de mais um jogo, apelando, sobretudo, que o jogo seja uma festa. "Para nós é mais um jogo já que o nosso objectivo é o campeonato. Claro que a Taça Distrital também é importante e gostaríamos de a ganhar, mas não é esse o nosso foco principal", assumiu o presidente da União de Leiria, Mário Cruz. Em relação ao jogo, o dirigente deseja que seja "uma grande partida de futebol", "com uma boa moldura humana no estádio", e que "vença a melhor equipa e que essa equipa seja a União de Leiria".
    "Vão estar em confronto as duas melhores equipas do concelho e esperamos que isso se traduza numa festa de civismo e desportivismo", assumiu Mário Cruz. Pelo mesmo diapasão segue o presidente do SCL Marrazes, Paulo Rabaça, admitindo que o jogo tem um cariz diferente. "Para os adeptos é um jogo especial, entrevelhos rivais. Para a equipa e os jogadores, este é mais um jogo da Taça que vamos tentar ganhar. Espero acima de tudo que seja uma festa porque o futebol precisa disso e não de guerras. É um jogo com um adversário histórico, em que há uma rivalidade de muitos anos, mas não é uma guerra", sublinhou.
    Em relação a favoritismo, Paulo Rabaça acredita que as duas equipas têm boas possibilidades de passar a eliminatória. "Não somos favoritos. Conhecemos bem a União de Leiria e as duas equipas têm 50 por cento de hipóteses. Eles estão num escalão inferiro ao nosso, mas está estruturada para disputar a Divisão de Honra e por isso não teremos facilidades", frisou.
    Já Mário Cruz, acredita que o Marrazes tem maiores responsabilidades de vencer. "É um clube de escalão superior e tem outras obrigações. Queremos ganhar porque sabemos para os adeptos seria uma vitória especial, mas aos jogadores vou dizer que este jogo não tem uma pressão maior que qualquer outro", concluiu.
    Acima de tudo, os presidentes querem que os adeptos "compareçam no estádio" em força e "num clima de festa."


    José Roque - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  31. COMUNICADO

    A Direcção da União Desportiva de Leiria vem dar conta, por ocasião do encontro do proximo Sabado dia 9 no Estadio Dr. Magalhães Pessoa entre as formações seniores da U.D.L e do S.C.L.M., o seguinte:

    1- Em resultado da neutralidade de campo imposta pelos regulamentos da A.F.Leiria nos encontros de Taça, os sócios de ambos os clubes terão de adquirir bilhete para o jogo ao preço de 3,00€.
    ... 2- Os ingressos para o publico estão já disponiveis para venda ao preço de 3,00€ na sede desta instituição, situada no Estadio Municipal de Leiria, com o horario de funcionamento das 9.30h - 12.30h e das 14h - 18h até Sexta-Feira proxima, abrindo as bilheteiras no dia de jogo Sabado pelas 13.30h.
    3- Solicita-se aos adeptos que por forma a evitar demoras, procedam à aquisição antecipada do seu bilhete.
    4- Para acesso ao recinto haverá duas portas, a numero 6 destinada aos adeptos unionistas, e a 8 para os do adversario.

    Leiria 4 de Fevereiro de 2013
    A Direcção da U.D.L.

    ResponderEliminar
  32. Será o jogo da eliminatória, e muitos esperavam este confronto apenas na final da Taça distrital de futebol. A União de Leiria e o Sport Clube Leiria e Marrazes de­frontam-se sábado, dia 9, na segunda eliminatória da taça.

    O encontro terá lugar no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, pelas 15 horas, e opõe o primeiro classificado da divisão de honra distrital ao líder da I divisão distrital (zona sul).

    Poucos se recordarão do último dérbi entre os dois emblemas. Já passaram mais de 40 anos, na altura, noutros campos, com outras regras e outros apoiantes, para outros campeonatos. Mas a história dos dois clubes cruza-se e, por isso, as duas direções vão prestar uma homenagem a Cassiano Gouveia, que integrou várias equipas técnicas do Marrazes e da União de Leiria.

    Os bilhetes para o jogo de sábado custam três euros e podem ser adquiridos na sede da União de Leiria ou nas bilheteiras no próprio dia do jogo. A entrada no estádio acontece pela porta número 6, destinada aos adeptos da União de Leiria, e pela porta número 8, para os adeptos do SCL Marrazes.

    ResponderEliminar
  33. Os adeptos da União de Leiria e do SCL Marrazes aguardam com grande expectativa o jogo de sábado, às 15h00, no Estádio Municipal, a contar para a Taça Distrital. O Diário de Leiria falou com um sócio de cada um dos emblemas que confessaram esperar um jogo equilibrado num duelo entre dois velhos rivais que traz boas memórias.
    "Este jogo traz uma sensação engraçada. O Marrazes foi o primeiro rival da União de Leiria mas isso durou pouco tempo porque a União despois subiu de divisão e passou a ser o Marinhense. É bom relembrar esses momentos, mas a rivalidade é mais vivida pelos adeptos do que pelos jogadores e dirigentes porque houve muitas pessoas que representaram os dois emblemas sem problemas", recordou José Bernardino, sócio da União de Leiria desde 1967.
    Também Virgílio Gordalina, sócio do SCL Marrazes desde 1961, recorda com nostalgia os embates entre leirienses e marrazenses. "Havia muita rivalidade que perdura até hoje, mas dantes a rivalidade era mais saudável. Havia muitas picardias durante o jogo, mas após o apito final havia um grande ambiente de amizade entre todos. Hoje em dia já não se vive tanto o futebol", sublinhou.
    José Bernardino também é da opinião que os dérbis, antigamente, eram vividos que forma diferente. "A vivência na cidade era outra. As pessoas concentravam-se na Praça Rodrigues Lobo à hora do almoço durante a semana e ficavam a falar do jogo. Além disso, houve uma altura que a União e o Marrazes dividiam o campo de futebol em Leiria e conseguiam atrair muitos adeptos aos jogos", frisou.
    Em relação ao jogo de sábado, os adeptos apostam na vitória das suas equipas, mas antecipam um confronto equilibrado. "O favoritismo é do Marrazes porque está na Honra, apesar do Leiria ter uma boa equipa. Fazendo um prognóstico, acho que o jogo acaba 1-1 e que depois se decide nas grandes penalidades", admitiu José Bernardino. Mais optimista está Vírgilio Gordalina. "É um jogo difícil. Ainda não vi a União jogar, mas penso que serão capazes de se bater bem. Será muito equilibrado, mas acho que o Marrazes ganha por 2-1", confessou, acrescentando ainda quem serão os autores dos golos marrazenses: "Cédric e o Tiago Clemente".
    Apesar de toda a rivalidade, os adeptos querem, acima de tudo, que o jogo seja vivido num clima de festa e amizade. "O mais importante é que tudo corra bem e que nos faça recordar os bons velhos tempos. Há algumas rivalidades palermas entre algumas pessoas, mas eu não vivo o futebol assim. Espero que vá muita gente ao estádio e que seja uma festa", apelou José Bernardino.
    Já Virgílio Gordalina explica que apesar de rivais, União e Marrazes são também clubes amigos. "São as duas grandes equipas da cidade. A União de Leiria até foi a equipa convidada quando inaugurámos o nosso campo de futebol. Por isso, quero que seja um jogo em que não aconteça nada para além de uma rivalidade saudável e amizade", concluiu.

    José Roque - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  34. Seniores : União de Leiria goleia SU Alfeizerense

    A União de Leiria venceu o Alfeizerense por 6-0 e soma por vitórias o número de jogos disputados, no campeonato distrital da I Divisão, zona Sul. A formação de Luís Bilro beneficiou ainda do 'deslize' do Alqueidão da Serra, frente ao Nadadouro (1-1) para aumentar a vantagem no primeiro lugar da tabela em relação à concorrência.

    A União de Leiria não sentiu grandes dificuldades para bater o último classificado e ao intervalo já vencia por 2-0, num jogo de sentido único. Nos primeiros 45 minutos, a equipa da casa não conseguiu sequer fazer um remate à baliza de Vítor Maranhão, que foi um mero espectador.

    No segundo tempo, o favoritismo da União de Leiria intensificou-se com os golos a surgirem com naturalidade, enquanto o Alfeizerense só conseguiu criar perigo em alguns lances de bola parada.
    Os golos da vitória da União de Leiria foram apontados por Dário Marquês, Giovani e dois de Henrique Piló. Os restantes golos (2) foram apontados por jogadores do Alfeizerense na própria baliza.

    Texto : José Roque (Diário de Leiria)
    Fotos : Wilson Echevarria

    ResponderEliminar
  35. União de Leiria e Marrazes: os velhos rivais reencontram-se 35 anos depois






    Uns jogam de branco, os outros de preto. Uns representam a agregação de várias forças em prol de um emblema que se quis mais poderoso, os outros optaram por manter a identidade e seguir o próprio caminho. União Desportiva de Leiria e Sport Clube Leiria e Marrazes jogam sábado, pelas 15 horas, em jogo da Taça do Distrito de Leiria, o primeiro derby desde 1978. Na altura, venceu a União de Leiria por 1-0, em jogo que praticamente condenou o Marrazes a descer à 3.ª Divisão. Para comemorar a data, o JORNAL DE LEIRIA juntou as estrelas de ontem – Fernando Monteiro e António Paiva - com os craques da actualidade – Sérgio Fonseca e Edgar Grincho – e ouviu muitas histórias em torno deste clássico. E sábado, no Magalhães Pessoa, como será?



    ResponderEliminar
  36. O desejo de ganhar é grande, mas ninguém assume o favoritismo. Assim é a postura de Luís Bilro e Rui Bandeira, treinadores da União de Leiria e do Marrazes, respectivamente. Apesar de o jogo de sábado, a contar para a Taça Distrital, estar a suscitar muito entusiasmo por parte dos adeptos, os técnicos preferem colocar 'água na fervura' na euforia da reedição de um jogo histórico.
    "Será um jogo interessante, contra uma excelente equipa que é líder da Divisão de Honra. Existe uma rivalidade saudável entre os dois clubes, mas não iremos mudar o nosso comportamento apesar de este ser um jogo de cariz especial para os adeptos. Importante é que seja um grande espectáculo de futebol e cabe aos jogadores dar um exemplo de responsabilidade e desportivismo tendo em conta toda a ansiedade criada à volta do jogo", referiu o técnico da União de Leiria, Luís Bilro.

    ResponderEliminar
  37. Mais de duas mil pessoas assistem ao dérbi União de Leiria – Marrazes



    A bancada tornou-se pequena para tantos adeptos da União de Leiria, do Marrazes e de bom futebol. Esta tarde, o dérbi que colocou frente a frente, as duas equipas, mais de três décadas depois do último confronto, terminou com a vitória da União de Leiria por 4-0.
    Edgar Grincho (2), Rui Bento e Giovanni foram os autores dos golos, num jogo que se fez sobretudo na bancada, com muita festa e animação. Estiveram no Estádio Municipal de Leiria mais de 2.500 pessoas.

    ResponderEliminar
  38. Mais um jogo e claro está mais uma vitória, desta vez contra o eterno rival marraZes, onde a nossa grande equipa deu um autêntico baile ao líder da 1ª divisão d...e honra
    Com o sector cheio e com grande entusiasmo, o público começou a puxar pela sua equipa onde viria a ser recompensada com uns fantásticos 4-0, fora a incapacidade do árbitro que não sabia o que fazer dentro de campo, este foi um daqueles jogos para mais tarde recordar (aprox. 4000 pessoas)
    De realçar o excelente jogo efectuado pelo nosso atleta Edgar Grinhco!
    Por final gostaríamos de deixar um pequeno apelo a todos os que estiveram presentes na curva, que comecem a acompanhar a equipa tanto nos jogos fora como em casa
    U. Leiria 4-0 Marrazes
    Golos: Edgar Grincho (2x), Giovanni e Rui Bento
    Melhor jogador em campo: Edgar Grincho

    ResponderEliminar
  39. União Desportiva de Leiria
    U.LEIRIA 4 S.C.MARRAZES 0

    Festa de futebol esta tarde no Estadio Magalhães Pessoa com a nossa União Desportiva de Leiria, lider da 1ª distrital, a vulgarizar um S.C.Marrazes, lider da Honra Distrital.

    Mais de duas mil e quinhentas pessoas, em grande maioria unionistas, assistiram a um triunfo sem "espinhas" da equipa de todos nós e que nos carimbou, sem dar lugar à minima contestação, o passaporte para a próxima ronda da Taça Distrital da A.F.Leiria
    ...
    No final do primeiro tempo, a vantagem unionista de 2-0, fruto de um estupendo remate de Edgar Grincho e de uma jogada de laboratório finalizada por Rui Bento, conferia já alguma tranquilidade às nossas hostes, serenidade reforçada no segundo tempo, em que novamente Edgar Grincho , e depois o matador Giovanni, coloriram o marcado com quatro tentos sem resposta perante um Marrazes que desceu à cidade crente de uma suposta superioridade, que nunca demonstrou.

    Segue-se mais uma jornada do campeonato, deslocando-se o ainda candidato Outeirense ao nosso reduto no proximo Domingo pelas 15h.

    A U.Leiria alinhou esta tarde com Maranhão, Rui Bento, Mario Wilson, Marco Aurelio, Rafael Ramalho (Nicholas), Fabio Santiago, Jefferson, Leandro, Bruno Novo, Edgar Grincho(Giovanni) e Henrique Piló (Danny)

    ResponderEliminar
  40. Continua a aventura do Leiria pelos campeonatos distritais... este sábado os leirienses defrontaram o Marrazes num jogo onde não faltou pirotecnia... aqui fica a crónica, as fotos e o vídeo enviado por um leitor do blogue...

    "A bancada tornou-se pequena para tantos adeptos da União de Leiria, do Marrazes e de bom futebol. Esta tarde, o dérbi que colocou frente a frente, as duas equipas, mais de três décadas depois do último confronto, terminou com a vitória da União de Leiria por 4-0. A última vez que as duas equipas - de freguesias distintas - se defrontaram foi a 04 de junho de 1978. Jogava-se a penúltima jornada da zona Centro da II divisão nacional e Sport Clube Leiria e Marrazes e União de Leiria lutavam pela permanência. Os leirienses venceram o 'derby' por 1-0 e o Marrazes desceu à III divisão. 35 anos depois, a União de Leiria voltou a vencer e pode continuar a sonhar com a conquista da Taça Distrital. Edgar Grincho (2), Rui Bento e Giovanni foram os autores dos golos, num jogo que se fez sobretudo na bancada, com muita festa e animação. Estiveram no Estádio Municipal de Leiria mais de 2.500 pessoas."

    ResponderEliminar
  41. A União de Leiria venceu hoje o Sport Clube Leiria e Marrazes, por 4-0, no Estádio Municipal de Leiria, 35 anos depois do último encontro entre as duas equipas, em jogo da segunda eliminatória da Taça Distrital de futebol.
    Perante uma bancada cheia, os "velhos" rivais reencontraram-se num jogo em que a União de Leiria foi superior.

    Treinada pelo antigo jogador Luís Bilro, a União de Leiria regressou aos campeonatos distritais no início desta época, depois de se dissociar da SAD.

    Já o Leiria e Marrazes é líder da divisão distrital de Honra da Associação Futebol de Leiria, primeiro escalão, e era o detentor da Taça Distrital.

    A última vez que as duas equipas - de freguesias distintas - se defrontaram foi a 04 de junho de 1978. Jogava-se a penúltima jornada da zona Centro da II divisão nacional e Sport Clube Leiria e Marrazes e União de Leiria lutavam pela permanência. Os leirienses venceram o 'derby' por 1-0 e o Marrazes desceu à III divisão.

    35 anos depois, a União de Leiria voltou a vencer e pode continuar a sonhar com a conquista da Taça Distrital.

    Frente ao Leiria e Marrazes, os leirienses dominaram e mostraram-se implacáveis no contra-ataque. Mais organizados e a trocar bem a bola, a União foi para o intervalo a vencer por 2-0.

    Com uma equipa formada por jogadores vindos dos escalões jovens, a imaturidade do Leiria e Marrazes acabou por se evidenciar e os jogadores tiveram dificuldade em trocar a bola e em desequilibrar, sendo poucas as oportunidades de golo.

    O jogo ficou marcado pela expulsão do treinador Luís Bilro a meio da
    primeira parte, passando o resto do encontro na bancada.

    Os golos foram marcados por Edgar (2), Rui Bento e Giovani.

    ResponderEliminar
  42. Este Fara que jogou a defesa esquerdo é dos juniores? O Edgar e o Dário tavam lesionados ou fou opçao?

    ResponderEliminar
  43. UD Leiria - SCL Marrazes : O Derby visto pelos capitaesterça-feira, fevereiro 12, 2013

    Já chegaram a representar o mesmo emblema, embora em escalões diferentes. Agora vão estar em lados opostos. Falamos de Marco Aurélio e João Luís, capitães da União de Leiria e do Marrazes, respectivamente. Amanhã, às 15h00, os dois jogadores vão estar frente a frente em jogo a contar para a Taça Distrital em que a amizade, durante os 90 minutos, vai ser colocada de lado em prol da passagem à próxima eliminatória. O palco é o Estádio Municipal de Leiria e os dados estão lançados para um grande jogo de futebol, em que os saudosistas vão poder reviver uma rivalidade com longa história na cidade.
    "Desde que saiu o sorteio da Taça, este jogo tornou-se logo especial e é normal que 'mexa' com os jogadores. Quando subirmos ao relvado e virmos todas aquelas pessoas vamos ficar com um nervoso miudinho, mas mal a bola comece a rolar, tudo passa", sublinhou Marco Aurélio, capitão da União de Leiria.
    Para João Luís, capitão do Marrazes, o jogo de sábado também não passa ao lado. "Um dérbi é sempre um dérbi, mas para nós é um jogo como os outros em que tudo faremos para vencer e seguir em frente numa prova que conquistámos na última época e que queremos voltar a vencer", confessou.
    Quanto a favoritismo, nenhum dos jogadores quer assumir essa responsabilidade. "É favorita a equipa que se apresentar no melhor momento, mas talvez haja uma maior responsabilidade do Marrazes porque é uma equipa que luta para subir à II Divisão Nacional", disse Marco Aurélio, revelando, ainda, o segredo para deixar por terra o detentor da Taça Distrital: "acredito que a União pode ganhar. Concentração, atitude e uma mentalidade forte são argumentos importantes para se vencer". Já João Luís assume que ambas as equipas têm boas possibilidades de seguir em frente. "Não há favoritos. As duas equipas têm bons jogadores e na União há atletas com muita experiência, ao nível do que se encontra na Divisão de Honra e até mais", frisou.
    O jogo de amanhã promete igualmente trazer milhares de adeptos ao Municipal de Leiria. Uma situação pouco vista nos campos de futebol do distrito e que servirá como factor extra de motivação. "Ter muita gente no estádio não é normal, mas quando acontece é uma alegria muito grande para os jogadores", revelou Marco Aurélio. Por seu lado, João Luís apelou à adesão dos adeptos e espera que "ganhe o melhor" e que, apesar da rivalidade, o atleta quer "que seja um espectáculo bonito, com fair-play e respeito pelo adversário".
    O capitão unionista acredita ainda que estão reunidas as condições para o dérbi ser "um jogo pacífico dentro e fora do campo", sublinhando que entre as equipas existe de "rivalidade salutar" em que os jogadores se conhecem todos. "Será certamente um grande espectáculo de futebol", concluiu.
    Os bilhetes estão à venda por três euros nas sedes dos dois emblemas no dia de hoje, e amanhã, na bilheteira do estádio municipal, a partir das 13h30.




    José Roque (Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  44. 2ªEliminatória da Taça Distrital Leiria 2012-2013
    Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria
    Árbitro: André Moreira.
    Assistência: 2.500 espectadores.
    .
    União de Leiria 4.
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio, Rafa (Nicholas, 52m), Jefferson, Fábio Santiago, Leandro, Bruno Novo, Henrique Piló (Dani, 58m) e Edgar Grincho (Giovani, 73m).
    Suplentes: Carlos, Tiago Gonçalves, Tiago Freitas, João Gomes.
    .
    SCL Marrazes 0.
    Treinador: Rui Bandeira.
    Sérgio; João Luís, Pedro Órfão, Miranda, João Miguel (Pascoal, 90+5m), Samuel (Orlando, 59m), Bóris, Tiago Clemente, Rúben, TD e Cédric (Pedro Grácio, 59m).
    Suplentes: Makê, Videira, Ricardo e João Moreira.
    .
    Ao intervalo: 2-0.
    Golos: Edgar Grincho (22 e 71m), auto-golo (25m) e Giovani (86m).
    Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Fábio Santiago (34m), Edgar Grincho (71m) e Bruno Novo (83m). Ordem de expulsão para o técnico Luís Bilro (29m); Pedro Órfão (53m), Bóris (71m).
    .
    A União de Leiria goleou o SCL Marrazes por 4-0 em jogo a contar para a segunda eliminatória da Taça Distrital, afastando da prova o detentor do troféu. Frente a frente estavam dois 'velhos rivais' num confronto que não acontecia há vários anos, o que suscitou muito entusiasmo entre os adeptos. Por isso, não foi de espantar que o Estádio Municipal de Leiria tivesse apresentado, na tarde de sábado, uma moldura humana bastante assinalável, com cerca de 2.500 pessoas a não quererem perder 'pitada' do dérbi.
    Em relação ao jogo, esperava-se um grande espectáculo de futebol entre duas boas equipas, o que não veio a acontecer. Nos primeiros minutos, a bola foi muito mal tratada com vários passos errados pelos dois conjuntos e um jogo muto disputado no meio-campo, com a União de Leiria a ter um ligeiro ascendente.
    Sem grandes motivos de interesse, foi preciso esperar até ao minuto 22 para se ver alguma acção… e logo com um golo. Numa jogada de insistência na direita do ataque unionista, a bola sobrou para a entrada da área onde apareceu Edgar Grincho que, de primeira, rematou fora do alcance do guarda-redes Sérgio, conseguindo um golo de belo efeito. Estava inaugurado o marcador na primeira vez que os leirienses chegaram com perigo à baliza adversária, para gáudio dos muitos adeptos da equipa da 'casa'.
    Esperava-se uma reacção do conjunto de Rui Bandeira, mas, três minutos depois, a União de Leiria chegou ao 2-0 num livre de 'laboratório', com Rui Bento a galgar pela direita e a cruzar para a área, com a bola a embater num defesa do Marrazes e a anichar-se no fundo da baliza.
    A equipa marrazense via-se então a perder por 2-0 a meio da primeira parte, o que castigava a inoperância ofensiva do Marrazes que deixou uma pálida imagem do seu real valor e não justificou o porquê de ser líder da Divisão de Honra distrital. Sem conseguir incomodar o guarda-redes adversário, o Marrazes só criou algum perigo num livre cobrado por Tiago Clemente (36m) para a área, com a bola a sobrar para Pedro Órfão que demorou muito tempo a visar a baliza de Maranhão com o lance a perder-se.


    ResponderEliminar
  45. Mais do mesmo na segunda parte

    No segundo tempo, a equipa da União de Leiria apostou em jogar mais na expectativa, dando a iniciativa de jogo ao Marrazes, o que resultou em cheio já que a 'turma' de Rui Bandeira nunca conseguiu encontrar espaços para criar perigo, e deu aso a que os leirienses encetassem contra-ataques venenosos.
    Apesar do forte apoio vindo da bancada, os jogadores insistiam em não proporcionar um bom espectáculo de futebol e foi quando o Marrazes já jogava em desespero que a União de Leiria deu a estocada final na partida quanto ao vencedor. Corria o minuto 71 quando Edgar Grincho -o homem do jogo-, bem desmarcado por Bruno Novo, ficou em situação privilegiada, descaído para a direita. Quando todos pensavam que este iria fazer o cruzamento, o avançado tentou a sorte e foi feliz ao meter a bola no 'buraco da agulha' surpreendendo o guarda-redes Sérgio, fixando o marcador em 3-0.
    O desânimo nas hostes marrazenses era bem visível não só pelo resultado, mas principalmente pelo que a equipa não conseguia fazer dentro das quatro linhas. Quem aproveitou isso mesmo foi a União de Leiria que esteve perto de aproveitar a velocidade de Dani para voltar a marcar. O extremo tirou vários adversários da frente (75m) e na cara de Sérgio atirou pouco ao lado da baliza.
    Já ao 'cair do pano', um erro defensivo da União de Leiria permitiu ao Marrazes estar perto do golo, mas T.D. não conseguiu superar Vítor Maranhão. Na resposta, em contra-ataque, uma bola longa foi colocada para Giovani que, sem oposição, rematou certeiro para o 4-0.
    Vitória justa da União de Leiria que não precisou de rubricar uma grande exibição para chegar à goleada contra um Marrazes sem argumentos e a cometer demasiados erros, que custaram caro.
    Arbitragem positiva de André Moreira num jogo que também não lhe trouxe grandes complicações.

    -----
    Opinião dos treinadoresBilro (U. Leiria): "Dou os parabéns à minha equipa. Sinto orgulho em estar a liderar este grupo de trabalho. O Marrazes valorizou o espectáculo e a nossa vitória, pois tem uma excelente equipa. Porém, mostrámos a nossa identidade". Sobre a expulsão: "Dei conhecimento ao árbitro da minha insatisfação de forma respeitosa sobre situações anómalas que estavam a surgir no jogo. Acho que fui injustamente expulso porque não faltei ao respeito a ninguém", remata.
    Rui Bandeira (Marazes): "O resultado é pesado se atendermos aquilo que se passou em campo. O jogo estava equilibrado quando a União de Leiria fez dois golos. No segundo tempo arriscámos na tentativa de fazer um golo, mas não conseguimos. A vitória da União de Leiria não merece contestação".

    José Roque - Diário de Leiria

    ResponderEliminar
  46. Leiria x Marrazes: copos, bola e focinheira
    Fevereiro 14, 2013 · by preguicamag · in tendências. ·
    Frente-a-frente, Leiria e Marrazes contra União de Leiria. Duas equipas de jogadores fenomenais? Nem por isso. Uma competição importantíssima? Nem pensar. Quando na cidade mais de duas mil pessoas decidem ir assistir a um espectáculo sem a presença de nenhuma estrela holliwoodesca, seja da área da cultura ou do desporto, estamos perante uma boa notícia. O derby leiriense fez mover multidões. E porquê?

    Texto de Miguel Sampaio
    Fotografia de Ricardo Graça

    Um, dois, três, cinco, dez, cem, mil, dois mil e quinhentos. Sábado, a lenta entrada dos adeptos no jogo da segunda eliminatória da Taça Distrital não fazia prever nada assim. Ao contrário do que muitos profetizavam, o povo aderiu a um evento pago. É verdade que era a partida entre a União de Leiria e o Marrazes, a três décadas e meia de distância da última encenação, mas este é um clássico cuja história não tem mais de uma dezena de episódios.

    Reportagem à volta do jogo por António Cova

    Depois de duas décadas de futebol ao mais alto nível, a União de Leiria teve de passar a suprema das vergonhas no final da temporada passada. Começar um jogo com oito atletas não foi mais do que a gota que fez transbordar o copo. Fartos de humilhações, os dirigentes do clube resolveram quebrar com o passado e avançar com um onze paralelo. Se João Bartolomeu queria continuar com a equipa da sociedade anónima desportiva, isso era lá com ele; eles também queriam ter um onze. Para a missão de liderar esse plantel escolheram Luís Bilro, o homem com mais jogos na 1.ª Liga com a camisola branca da União.

    No clube, a história ia ser outra. Começaram do zero, na última das divisões, com o objectivo de chegar rapidamente a patamares superiores e, mais importante, voltar a contar com o apoio dos cidadãos de Leiria. Sábado ficou provado: os adeptos do Marrazes estão sempre com os homens que vestem de negro; os apoiantes da União de Leiria voltaram a estar com os jogadores que equipam de branco. Vitórias em todos os jogos também é forte atractivo…

    Às 15 horas de sábado, quando o árbitro deu o apito inicial, estavam na bancada imensos dos adeptos do antigamente, como já tinham estado na taberna Lagoa muitos que há anos e anos não andavam por aquelas paragens. E como um copinho de tinto sabe tão bem a acompanhar a isca e a saladinha de polvo…
    No estádio, a Frente Leiria entoava, ao som da música dos Da Vinci, o cântico feito propositadamente para o jogo com o Marrazes:

    “Já fui à UEFA
    já fui ao Jamor
    1.ª Divisão
    e vocês não!
    Ficaram em casa
    a ver-nos na televisão!”

    Uma pequena provocação feita pelos madurões membros da claque da União de Leiria. Na bancada impressionava a moldura humana que enchia totalmente a bancada central, algo que não acontecia há anos, exceptuando jogos da Selecção e as visitas do Benfica. Os adeptos mostravam sede de futebol e não só, pois os stocks de cerveja foram bebidos até à última gota.

    O jogo foi limpo. Os jogadores deram tudo. Os treinadores procuraram as melhores tácticas. O árbitro ajuizou sempre bem. O público mostrou total respeito como, de resto, parece haver entre os responsáveis pelo emblema. A festa foi inesquecícel. Ah! E a União de Leiria ganhou por 4-0. Como diz a Frente Leiria, “a União voltou”.

    (Publicado em 14 Fevereiro 2013)

    ResponderEliminar
  47. 9ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Jogo no Estádio Municipal de Leiria
    Árbitro: David Alexandre (AF Leiria)
    Árbitros assistentes: Daniel Nicolau e Gonçalo Carreira.
    Espectadores: cerca de 200.
    .
    U. Leiria 0
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão; Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (cap.) e Tiago Gonçalves; Fábio Santiago, Jeferson e Leandro; Bruno Novo (Dani, 44), Henrique Piló (Gionani, int.) e Edgar Grincho.
    Não utilizados: Carlos Vieira, Tiago Faustino, Tiago Freitas e Yago.
    .
    CDR Outeirense 0
    Treinador: Sérgio Lavos.
    Faustino; Becas, João Duarte, Fábio Gomes (Joel, 69) e Serginho; Portugal; Vando, Hugo Neto (cap. - Tojeira, 69), Rodolfo e Telmo Lavos; Ari (Luís Tiui).
    Não utilizados: Ricardo Lavos, Lobo, Joaquim e Luís Gomes.
    .
    Acção disciplinar: cartão amarelo a Edgar Grincho (27), Faustino (52), Fábio Lopes (57), Serginho (82), Rodolfo (90+2), Telmo Lavos (90+4) e Joel (90+6).
    Expulsão do banco a Ruben, treinador adjunto da U. Leiria (53).
    .
    A equipa de Luís Bilro não conseguiu derrotar a bem escalonada formação do Outeirense num terreno muito empapado onde a chuva não faltou em quase toda a partida.
    Com mais posse de bola e trocando-a entre os seus jogadores a União quis surpreender os visitantes e aos cinco minutos num lance pela direita, Bruno Novo centrou e Henrique Piló preparava-se para abrir o activo mas um defensor visitante tocou na bola e esta foi para canto.
    A pouco e pouco os pupilos de Sérgio Lavos foram ganhando confiança e aos nove minutos beneficiaram de dois cantos criando algum perigo.
    Aos 14 minutos foi a vez do capitão Hugo Neto aplicar um potente remate e a bola passou por cima da barra da baliza de Vítor Maranhão.
    O jogo estava equilibrado e aos 19 minutos após um centro da direita por Bruno Novo, Henrique Piló de cabeça enviou a bola com a intenção de abrir o activo mas esta passou ao lado da baliza de Faustino.
    O Outeirense embora povoasse o seu meio-campo, tendo Ari como homem mais avançado, quando nas transições ofensivas contava com pelo menos três jogadores e aos 17 minutos beneficiou de um canto no seguimento de uma jogada de perigo.
    Aos 22 minutos Piló introduz a bola na baliza de Faustino mas o árbitro assistente Gonçalo Carreira assinalou fora-de-jogo. Quatro minutos depois Edgar Grincho num contra-ataque rápido remata forte por cima da barra, tendo respondido o Outeirense por Vando que centrou com perigo mas Hugo Neto rematou defeituosamente à baliza de Vítor Maranhão.
    Na resposta, Bruno Novo criou perigo, indo a bola para canto quando Henrique Piló se preparava para marcar.
    Refira-se que o árbitro assistente Gonçalo Carreira, assinalou muitos foras-de-jogo pois em grande parte do jogo a defensiva visitante tirava partido da lei do fora-de-jogo, mas nem sempre bem.
    Domínio dos visitados
    Praticamente em cima do intervalo Dani entrou para o lugar de Bruno Novo que saiu lesionado. Henrique Piló ficou no balneário e entrou o brasileiro Giovani para jogar os segundos 45 minutos.

    ResponderEliminar
  48. Os comandados de Luís Bilro entraram a todo o gás e Leandro aos 46 minutos num remate forte fez brilhar Faustino. Três minutos depois foi a vez de Dani num remate forte obrigar Faustino a defender categoricamente.
    A União não obstante o campo pesado optava pelo futebol de pé para pé entre os seus jogadores, que nos pareceu desaconselhável, tanto mais que tinha na frente de ataque o possante Giovani e o rápido Dani.
    Na equipa adversária pontificava a entre-ajuda e a entrega de todos os seus jogadores, com Portugal a mostrar que não é só um excelente cantor, como um atleta voluntarioso e muito guerreiro nos seus 39 anos de vida. Também os centrais foram impecáveis.
    O Outeirense no segundo tempo não criou perigo, também por culpa do sector defensivo da casa, especialmente Mário Wilson o melhor jogador em campo.
    Aos 58 minutos, no seguimento de um canto por Leandro Edgar Grincho rematou defeituosamente quando podia ter marcado e aos 67 minutos o capitão Marco Aurélio numa incursão ao ataque enviou a bola ao lado da baliza de Faustino quando tinha tudo para conseguir o golo .
    Aos 82 minutos Faustino um dos melhores homens em campo teve uma saída oportuna evitando o golo e aos 87 minutos a bola rondou a baliza deste goleiro que realizou mais uma boa defesa.
    O árbitro não teve uma missão facilitada até pelo estado do relvado, mas nem sempre bem auxiliado, é merecedor de nota positiva. Na expulsão de Faustino que os adeptos da casa reclamavam, foi admoestado com a cartolina amarela, achamos que esteve bem porque Dani não estava em posição frontal para a baliza e alguns defensores adversários estavam por perto.
    -----
    O que disseram os treinadores
    Luís Bilro (U. Leiria): "Fomos uma equipa inoperante em termos ofensivos, mas não coloco em causa a nossa superioridade sobre o adversário. Não conseguimos concretizar em golos as oportunidades criadas. Assumo inteiramente a responsabilidade deste resultado".
    Sérgio Lavos (Outeirense): "Foi um jogo bem disputado e tínhamos a ambição de ganhar o jogo mas o empate acaba por estar certo. A União está habituada ao relvado, pois é onde treina e joga, mas acho que equilibrámos o jogo embora União tivesse criado mais perigo".

    Tuna Caranguejeiro (Diário de Leiria)
    Luis Filipe Coito (Foto)

    ResponderEliminar
  49. Num jogo que se aguardava com muita expectativa, a equipa da UD Leiria venceu por 0-2 em Casal do Claros e ampliou a sua vantagem sobre o 2ºclassificado, agora o CCR Alqueidão da Serra, para 5 pontos.
    .
    Jogo da 10ªJornada da 1ªDistrital/Sul - Seniores
    Campo da Lagoa, em Casal dos Claros (Amor)
    Árbitro: João Mendes, auxiliado por Marco Silva e Flávio Monteiro
    .
    GDCR Unidos 0: Eduardo Trindade, João do Toco, Rui Macedo, Wilson Alves, Beto, David Lopes, André Carvalho, Dárcio Feliciano (Cap.) (Fábio Leiria, aos 49 min.), Hugo Monteiro, Bruno Correia (Felipe André, aos 81 min.), Nelo (Tito, aos 72 min.)
    Suplentes não utilizados: João Feliciano, Tiago Grácio, Confraria
    Treinador: Hugo Caminho
    Adjunto: Ricardo Caçador
    Delegado: Fernando Gomes
    .
    UD Leiria 2: Vítor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (Cap.), Tiago Gonçalves, Jefersson, Leandrito (Tiago Freitas, aos 89 min.), Fábio Santiago, Edgar Grincho (Henrique Piló, aos 70 min.), Dani (Fred, aos 76 min.), Giovani
    Suplentes não utilizados: Carlos, Tiago Gonçalves, Yago, Nicolas
    Treinador: Paulito
    Adjunto: Rúben
    Delegado: Miguel Grácio
    .
    Marcadores: 0-1 Giovani (aos 36 min.), 0-2 Marco Aurélio (aos 60 min.)
    Acão Disciplinar: Amarelo a Hugo Monteiro (aos 7 min.), Mário Wilson (aos 34 min), Nelo (aos 55 min.), Edgar Grincho (aos 63 min.), David Lopes (aos 67 min.), Wilson Alves (aos 68 min.)

    Com o Campo da Lagoa em Casal dos Claros muito bem composto de espectadores, o GDRC Unidos, 2ºclassificado no campeonato, recebia o líder da competição, a equipa da UD Leiria.
    E o jogo começou desde cedo com um ritmo bastante elevado, e logo aos 5 minutos, Vítor Maranhão a colocar a bola em jogo com um pontapé muito longo, Giovani a ganhar na luta, com a bola a sobrar para Dani, que remata pronto com algum perigo para a baliza de Trindade. Três minutos depois, é o irrequieto Rui Bento a subir pelo seu flanco, a cruzar, e com Edgar Grincho a desviar em zona perigosa, e por muito pouco Giovanni a não chegar. O Unidos procurava dividir o jogo com a UD Leiria, e sob a batuta de Dárcio a meio-campo, iam também causando algum perigo. Aos 12 minutos, Nelo a desmarcar-se vindo de trás e quando parecia estar em excelente posição, acaba por escorregar e permitir a Vítor Maranhão a defesa segura. Com Dani muito activo na esquerda, a UD Leiria ia paulatinamente tomando conta do jogo, e aos 21 minutos, Dani a cruzar na esquerda e Edgar Grincho a aparecer na zona de decisão e a cabecear com muito perigo, com Trindade a conseguir defender para canto. No seguimento do canto, novamente Dani a trabalhar bem, e a rematar perigoso, mas com a defesa dos Unidos a conseguir intercetar o lance. Com um Leiria em crescendo, os Unidos ia procurando lances de contra-ataque para lançar o sempre veloz Nelo. Aos 26 minutos, é André Carvalho que na marcação de um livre leva o perigo a baliza de Vítor Maranhão. O jogo estava vivo e com lances de ataque nas duas balizas. Aos 32 minutos, ataque rápido conduzido por Leandrito, que coloca na esquerda em Edgar Grincho, que remata forte mas a defesa dos Unidos acaba por conseguir interceptar o lance e lançar rápido um perigoso contra-ataque com Bruno Correia a rematar forte, com muito perigo para a baliza de Vítor Maranhão. Até que aos 36 minutos, a UD Leiria vai mesmo chegar ao golo. Dani, sempre ele, a trabalhar na esquerda, a cruzar para a área, onde aparece Giovanni, que com um gesto técnico de cabeça perfeito, faz o 0-1 para a sua equipa. Dois minutos depois, esteve á vista o 0-2. Leandrito a cruzar na direita e Giovanni, uma vez mais, a aparecer de cabeça e a rematar com a bola a embater no poste esquerdo da baliza de Trindade, que nada poderia fazer. Na resposta, dois bons lances para o Unidos. Primeiro, André Carvalho a ganhar na direita, a cruzar e com Nelo a aparecer no interior da área, mas a não conseguir dar a melhor direcção ao cabeceamento. Depois, David Lopes a rematar forte, para defesa a dois tempos de Vítor Maranhão.

    ResponderEliminar
  50. A 2ªParte começa com o Leiria novamente muito próximo do golo. Dani a trabalhar na esquerda, a cruzar, com a bola a atravessar toda a área dos Unidos, e com Edgar Grincho no poste contrário a obrigar Trindade a uma boa defesa. Os Unidos iam fazendo pela vida, e iam procurando chegar ao empate. Aos 55 minutos, lance que deixou muitas dúvidas. Nelo vai-se a isolar, Marco Aurélio vai na sua perseguição, havendo um contacto entre os dois e com João Mendes a considerar que houve simulação de Nelo, e a mostra-lhe o respectivo amarelo. Ficaram muitas dúvidas. Até que aos 60 minutos, a equipa da UD Leiria vai mesmo chegar ao 0-2. Canto na direita para Edgar Grincho, que coloca curto em Rui Bento, que ensaia um cruzamento/remate, com a bola a levar a direção da baliza de Trindade e com Marco Aurélio, de cabeça, a confirmar o golo. Estava feito o 0-2. O Unidos procurava rumar contra o domínio da equipa da UD Leiria e aos 75 minutos, vai ter uma muito boa oportunidade para reduzir a desvantagem. Fábio Leiria a ganhar na direita, a cruzar atrasado, onde aparece Tito em posição privilegiada, mas remata para fora. Podia ter feito muito melhor. O jogo continuava intenso, e aos 80 minutos, Rui Bento a subir uma vez mais pelo seu flanco, a flectir para o meio, e a rematar com perigo, com a defesa dos Unidos a conseguir cortar o lance para canto. No seguimento do mesmo, Leandrito a rematar com perigo, mas a bola a sair por cima.
    Num jogo bem disputado pelas duas equipas, que mostraram o porquê dos lugares cimeiros que ocupam na classificação, vitória justa da UD Leiria, que soube aproveitar as oportunidades que dispôs e que mostrou dispor de outros argumentos, isto, contra uma boa equipa dos Unidos, que foi um digno vencido, e que pelo que fez merecia um golo de honra.
    Quanto a arbitragem de João Mendes, não teve grandes dificuldades, havendo no entanto muitas dúvidas no já citado lance em que Nelo se isolava e em que dá a clara noção que Marco Aurélio o travou em falta já dentro da área.



    ------
    A opinião dos treinadores:
    Hugo Caminho (GDCR Unidos): Não quis prestar declarações.
    Paulito (UD Leiria): Perante uma boa equipa, que justificou bem o porquê do lugar que ocupa no campeonato, foi bem patente a nossa superioridade. Estivemos sempre mais próximos de ampliar a vantagem, do que o contrário. Em termos de campeonato, é óbvio que tudo fica mais fácil, mas temos que continuar com o bom trabalho que temos feito

    ResponderEliminar
  51. Num jogo em que o resultado acaba por ser melhor que a exibição, a equipa da UD Leiria venceu por expressivos 6-1 a equipa do GD “Os Vidreiros” e segue imparável na liderança da 1ªDistrital/Sul.
    .
    Jogo da 11ªJornada da 1ªDistrital/Sul - Seniores
    Estádio Municipal de Leiria
    Assistência: Cerca de 250 espectadores
    Árbitro: José Oliveira, auxiliado por Daniel Nicolau e Nélson Dias
    .
    UD Leiria 6: Vítor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (Cap.), Edgar Fernandes, Fábio Santiago, Dani (Dário Marquês, aos 65 min.), Jeferson, Leandro (Tiago Freitas, aos 86 min.), Giovani (Henrique Piló, aos 79 min.), Edgar Grincho.
    Suplentes não utilizados: Carlos, Tiago Gonçalves, Yago, Pierre
    Treinador: Paulito
    Adjunto: Rúben
    Delegado: Miguel Grácio
    .
    GD “Os Vidreiros” 1: Hugo, Carreira, Luís Leal (Cap.), David, Ricardo Peidinho, Valdo, Frazão, D’Aprile, Alex (Gaspar, aos 79 min.), Tiago Alexandre (André Pinto, aos 62 min.), Carlos Tiago
    Suplentes não utilizados: Espanhol, Héber, Jota
    Treinador: Beto Leiteiro
    Delegados: Hélder Carvalho e Renato Oliveira
    .
    Ao intervalo: 0-0
    Marcadores: 1-0 Giovani (aos 47 min.), 2-0 Giovani (aos 61 min.), 2-1 D’Aprile (aos 64 min.), 3-1 Edgar Grincho (aos 81 min.), 4-1 Edgar Fernandes (aos 84 min.), 5-1 Dário Marquês (aos 90 + 2 min.), 6-1 Edgar Grincho (aos 90 + 5 min.)
    Acão Disciplinar: Amarelo a Luís Leal (aos 48 min.), D’Aprile (aos 51 min.), David (aos 72 min.), Carlos Tiago (aos 88 min.)

    Em mais uma jornada do Campeonato Distrital da 1ªDivisão/Sul, a equipa da UD Leiria, líder destacado da competição, recebeu no Municipal de Leiria a equipa do GD “Os Vidreiros”, de Picassinos.
    O jogo iniciou-se, tal como se esperava, com a equipa da casa mais pressionante e logo aos 3 minutos de jogo, Giovani a aproveitar uma série de ressaltos dentro da área dos Vidreiros e oportuno, a rematar para defesa segura de Hugo. Aos 8 minutos, é Leandro, que depois de uma boa progressão individual, a rematar de longe, mas mais uma vez para defesa fácil de Hugo. Os Vidreiros apresentavam as suas linhas bem recuadas e organizadas e iam procurando lançar contra-ataques. Apesar de mais pressionante, a UD Leiria ia encontrando muitas dificuldades em criar lances de verdadeiro perigo. Perigo esse que vai acontecer aos 25 minutos, naquela que foi a ocasião mais perigosa de toda a primeira parte. Dani a ganhar uma bola á entrada da área, a rematar forte com a bola a bater caprichosamente na barra da baliza de Hugo e a não entrar. Ainda na primeira parte, mais dois lances de perigo para a UD Leiria.

    ResponderEliminar
  52. Primeiro por Santiago, e depois por Edgar Fernandes, mas em ambos a bola acaba por não entrar. O nulo ao intervalo era um justo prémio para a organização defensiva dos Vidreiros.

    A 2ªParte começa praticamente com o 1-0 para a UD Leria, com Giovani, sempre ele, a marcar na transformação de uma grande penalidade, muito contestada pela equipa dos Vidreiros. Em vantagem no marcador, a UD leiria não abrandou, e logo aos 48 minutos, Leandro a ter uma excelente jogada individual, mas acaba por ser travado em falta quando ia com muito perigo para a baliza de Hugo. Mas aos 61 minutos, a UD Leiria vai mesmo chegar ao 2-0. Edgar Fernandes a cruzar, Leandro a receber na direita e a colocar no interior da pequena área, onde Giovani só teve de encostar para fazer o 2-0. Mas melhor resposta os Vidreiros não podiam ter. Bastaram apenas três minutos, e os Vidreiros a relançarem de novo o jogo. Perda de bola infantil da defesa da UD Leiria e D’Aprile com toda a calma do mundo, a tirar um adversário da frente, e na cara de Vítor Maranhão só teve de escolher o lado para que queria marcar. O golo animou a equipa de Picassinos, que voltou a acreditar e por duas ocasiões vai criar perigo. Primeiro por Alex que trabalha bem na direita, mas Vítor Maranhão intercepta o cruzamento quando a bola levava muito perigo, e depois André Pinto, que em muito boa posição, acaba por perder muito tempo e permitir a recuperação da defensiva do Leiria.
    Até que aos 81 minutos, e depois de um centro milimétrico de Dário Marquês na esquerda, Edgar Grincho, á vontade, de cabeça a fazer o 3-1. Com este golo o jogo ficou sentenciado e a partir daqui nunca mais a equipa dos Vidreiros se encontrou, vindo ainda a sofrer mais três golos. Primeiros aos 84 minutos por Edgar Fernandes, após um canto na esquerda, a bola a ressaltar para a entrada da área, onde o defesa, á vontade remata para golo. O 5-1 aos 90 + 2 minutos, com Henrique Piló a isolar-se, e endossar a bola a Dário Marquês que só teve de finalizar. E o 6-1 mesmo em cima do fim do jogo, depois de uma série de ressaltos dentro da área, a bola a chegar a Edgar Grincho, que não vacilou e fez o 6-1 final.



    Num jogo poucas vezes bem jogado e com um ritmo bastante baixo, vitória justa da equipa da UD Leiria, que foi sempre a equipa mais perigosa em campo, mas por números algo exagerados, que castigam em demasia a equipa dos Vidreiros.
    Quanto a arbitragem de José Oliveira e seus pares, ficaram muitas dúvidas no lance da grande penalidade assinalada a favor da UD leiria, mas o árbitro estava muito bem posicionado, pelo que fica o benefício da dúvida. No resto, arbitragem regular.

    ResponderEliminar
  53. 14ªJornada da 1ªDistrital/Sul 2012-2013
    Campo da Boa Vista
    Árbitro: Nélson Pereira, assistido por Vasco Marques e Rúben Rebelo.
    Assistência: 150 espectadores.
    .
    GDR Boavista 0
    Treinador: António Paiva.
    Leandro, Miguel Silva, Nélson Carvalho, Pedro Rafael, Isaac Inácio, Luís Lopes, Bruno Sardinha, João Pereira (Márcio Relvas, 69m), João Rodrigues (André Monteiro, 60m), Nuno Sousa e Paulo Ferreira (Pedro Amado, 82m).
    Suplentes: Linhares, Hugo Lagoa, João Oliveira.
    .
    União de Leiria 7
    Treinador: Luís Bilro.
    Vitor Maranhão, Rui Bento, Tiago Gonçalves, Mário Wilson, Edgar Fernandes, Fábio Santiago, Jefferson (Bruno Novo, 67m), Dany, Dário Marquês, Edgar Grincho (Leandro, 57m) e Giovani (Henrique Piló, 60m).
    Suplentes: Carlos, Tiago Freitas, Nicolas e Yago.
    .
    Ao intervalo: 0-5.
    Golos: 0-1 por Edgar Grincho (1m); 0-2 por Edgar Fernandes (5m); 0-3 por Edgar Grincho (8m); 0-4 por Dário Marquês (27m); 0-5 por Giovani (34m); 0-6 por Giovani (51m); 0-7 por Leandro (64m).
    Acção disciplinar: Cartão amarelo a Pedro Rafael (12 e 68m), Bruno Sardinha (15m), Edgar Fernandes (17m), Jefferson (41m). Cartão vermelho directo a Néslon Carvalho (51m).
    .
    O que dizer de um jogo que aos oito minutos já colocava a União de Leiria a vencer por 0-3? Uma entrada a todo o gás, aliado a vários erros defensivos da Boavista, permitiu aos leirienses avolumarem o resultado desde cedo, dissipando quaisquer dúvidas que pudesse haver quanto ao vencedor da partida.
    Quem chegou ligeiramente mais tarde ao campo de futebol na Boa Vista, não viu o golo inaugural da partida logo no primeiro minuto quando a defensiva da casa perdeu a bola, com Edgar Grincho a rematar para o 0-1, com o esférico a embater no poste ainda antes de entrar na baliza de Leandro.
    O plano inicial da Boavista em suster o ataque leiriense foi posto novamente em causa quando, aos quatro minutos, Giovani tem uma perdida clamorosa ao permitir o corte à defensiva da casa quando tinha tudo para fazer o golo. Se não foi aos quatro minutos, foi aos cinco. Num canto marcado de forma curta, a bola é colocada na área onde aparece Edgar Fernandes a encostar para o 0-2. Tudo fácil.
    Para o descalabro ainda ser maior para a formação orientada por António Paiva, aos oito minutos a sua equipa já perdia por 0-3 num contra-ataque puro dos leirienses em que Edgar Grincho galgou vários metros no terreno sem oposição e, à entrada da área, atirou a contar.
    A Boavista tinha muitas dificuldades para sair de forma organizada do seu meio-campo e, ao mesmo tempo, com uma defesa alta, deixava muitos espaços nas suas costas com a União de Leiria a aproveitar, através dos seus jogadores mais rápidos, para fazer estragos.
    A resposta da Boavista surgiu aos 10 minutos com João Rodrigues a tentar a longa distância, mas Vítor Maranhão esteve à altura ao atirar a bola para canto. Apesar do susto, os leirienses continuaram a comandar as operações e o 0-4 surgiu com normalidade através, novamente, de um contra-ataque com Dário Marquês, com todo o tempo do mundo, a sentar o guarda-redes e a atirar para a baliza deserta.
    Galvanizada com o golo, a União de Leiria voltou a usar a mesma receita, ou seja, a explorar os espaços vazios deixados nas costas da defesa da Boavista, para aumentar o marcador: Dany, já dentro da área, tentou o chapéu, mas foi Giovani a confirmar de cabeça, em cima da linha de golo, o 0-5.
    Até ao apito para o intervalo apenas destaque para uma jogada de Paulo Ferreira que, depois de tirar dois adversários do caminho, rematou ao poste da baliza de Maranhão.

    ResponderEliminar
  54. Jogo morno na segunda parte


    Na segunda parte, o jogo perdeu interesse e qualidade. A Boavista parecia estar resignada e a União de Leiria fazia circular a bola mais lentamente. Mesmo assim, foram os leirienses que apareceram mais perigosos com Dário Marquês a servir Giovani que, com a baliza aberta à sua mercê, atrapalhou-se com a bola e permitiu que Leandro lhe tirasse um golo certo. Contudo, um minuto depois (51m), os mesmos protagonistas gizaram uma jogada idêntica, mas desta vez o avançado brasileiro não facilitou fazendo o 0-6.
    Se a tarefa já estava difícil para os axadrezados, pior ficou quando Nélson Carvalho viu cartão vermelho directo por agressão a Edgar Grincho. Os leirienses, apesar de estarem em superioridade numérica, passaram a jogar de forma lenta e previsível só voltando a criar perigo quando o recém-entrado Leandro roubou a bola ao adversário em zona proibida, triangulou com Henrique Piló e encostou para o fundo da baliza fixando o resultado final em 0-7.
    A partir daqui o jogo perdeu qualidade e os jogadores pareciam querer que a partida chegasse rapidamente ao fim. Até ao apito final, apenas de destacar um remate de Dário Marquês com defesa atenta de Leandro.
    Vitória justa da União de Leiria que aproveitou as facilidades iniciais da Boavista para conseguir uma vantagem preciosa que nunca mais largou. Palavra de apreço para os jogadores axadrezados que, apesar de todos os infortúnios, nunca viraram a cara à luta.
    Trabalho positivo de Nélson Pereira, apesar de algum exagero em termos disciplinares. Bem na expulsão de Nélson Carvalho.



    Texto: José Roque (Diário de Leiria)

    ResponderEliminar
  55. UD Leiria garante subida de divisão
    Por Eduardo Pedrosa Marques

    O UD Leiria garantiu, este domingo, a subida à Divisão de Honra da Associação de Futebol de Leiria, depois de ter vencido o Santo Amaro, na Ortigosa, por 2-1.

    Os leirienses, que depois do fim do profissionalismo no clube começaram esta temporada na mais baixa divisão do futebol distrital, têm realizado uma época notável – ainda não sofreram qualquer derrota oficial, nem no campeonato nem na Taça - e, como tal, à 16.ª jornada carimbaram a subida de escalão.
    Mário Cruz, presidente do UD Leiria, em declarações a A BOLA, não escondeu toda a sua satisfação pelo feito alcançado:

    - Depois de tantos tumultos e de o clube ter regressado às distritais, naturalmente que subir de divisão era o nosso principal objetivo para esta temporada. Felizmente que o conseguimos atingir e agora há que olhar em frente e encarar o futuro com otimismo. Nunca escondemos que temos um grande desejo em voltar a colocar o UD Leiria no lugar que merece estar, que é nas competições profissionais, e vamos trabalhar para que isso possa acontecer. O clube é uma referência da cidade e, como tal, merece estar entre os grandes.

    O líder máximo do emblema unionista não terminou sem deixar uma palavra de apreço a todos os adeptos que têm sido absolutamente inexcedíveis no apoio à equipa.

    «Não ficava bem comigo mesmo se não agradecesse publicamente a todos os unionistas que, domingo após domingo, têm apoiado a equipa em todos os campos do distrito. Têm sido o nosso verdadeiro 12.º jogador, e essa é a prova de que Leiria é uma cidade que gosta de futebol e que as suas gentes sentem um tremendo orgulho no clube. Para todos eles, o meu sincero obrigado», concluiu Mário Cruz.

    Recorde-se que o emblema da cidade do Lis é orientado por Luís Bilro, antigo lateral direito e histórico capitão do UD Leiria.

    ResponderEliminar
  56. Como ta a lesão do Sardao? Aquilo ficou bom?

    ResponderEliminar
  57. Para atacar a divisão de honra para a próxima época o leiria tem que fazer algumas contratações. Contratar um central de classe para o lugar do Mário Wilson (Beto Unidos, Gata Vieira) e dois avançados, pois quer o Piló quer o Giovani não são aquela máquina (para esta posição sinceramente não vejo nenhum fora de serie nos nossos campeonatos, mas certamente haverá)

    ResponderEliminar
  58. Tivemos conhecimento que o UDL teve o seu fim no final da semana passada. Depois de alguns meses em que alguns ainda pensaram que seria possivel conseguir dali alguma coisa, a esperança terminou. Já nada mais há a fazer senão arrumar as botas. Chegados a este ponto, é o momento de se fazer o balanço do que foi um dos negócios mais estranhos que o Álvaro encabeçou. Ainda sem que se saiba o que vai acontecer com o relvado que foi colocado no ACM, está também por saber como pensa agora o Álvaro conseguir o que chegou a dizer que seria possivel. Receber aquilo que o UDL deve! O negócio com o UDL marca o mandato do Álvaro pela negativa, tendo mostrado a precipitação de quem quer aparecer nas notícias e a imaturidade de querer fazer negócios com quem se sabia que não era o parceiro ideal. Agora que não tem mais argumentos para tentar justificar o que foi a celebração de um protocolo mal feito, sem protecção para a câmara, estamos curiosos para ver quais vão ser os argumentos que irá usar. Depois de andar meses a empurrar para a frente os esclarecimentos que têm vindo a ser pedidos pela oposição, não tem mais como continuar a fazê-lo. Estamos curiosos para saber se irá continuar a dizer que o assunto do relvado é problema que não diz respeito à câmara ou se vai assumir o papel de qualquer pessoa de bem que assume os erros que comete e tenta resolvê-los, em vez de empurrar para os outros a sua resolução, neste caso para o ACM! Não queremos acreditar que temos uma câmara que faz asneiras e que se refugia em questões jurídicas para não resolver os assuntos! Uma coisa é certa, o negócio com o UDL mostrou a falta de preparação do Álvaro para tratar de assuntos mais complicados do que aqueles que vão além do mero negócio de merceeiro!

    ResponderEliminar
  59. Estádio Municipal de Pombal
    Árbitro: Hugo Pires, auxiliado por Nuno Pacheco e Daniel Nicolau

    .
    Moita do Boi 0
    Treinador: José Marques.
    João Mendes, Gildo Costa, André Torrado (Cap.), Fábio Parracho, Daniel Marques(João Simões, aos 79 min.), Sandro Russo, Bruno Oliveira, Micael Costa (Frederico Ruivo, aos 90 min.), Roberto Dias (José Silva, aos 70 min.), Mário Ribeiro, Jonathan Silva.
    Suplentes : João Gonçalves, Rafael Rodrigues, José Domingues, João Silva.
    .
    União de Leiria 1
    Treinador: Luís Bilro.
    Vítor Maranhão, Rui Bento, Mário Wilson, Marco Aurélio (Cap.), Edgar Fernandes, Jeferson (Dani, aos 60 min.), Leandrito, Dário Marquês (Aliu Camará, aos 74 min.), Fábo Santiago, Edgar Grincho, Giovanni (Henrique Piló, aos 83 min.).
    Suplentes : Carlos, Tiago Gonçalves, João Gomes, Tiago Freitas.

    .
    Ao intervalo: 0-0.
    Marcadores: 1-0 Giovanni g.p (aos 67 min.).
    Acção Disciplinar: Amarelo a André Torrado (aos 8 min. e 83 min.), Fábio Santiago (aos 53 min.), Gildo Costa (aos 67 min.), Edgar Grincho (aos 72 min. e 94 min.), Leandrito (aos 74 min.), Mário Wilson (aos 79 min.). Vermelho por acumulação de amarelos a André Torrado (aos 83 min.) e Edgar Grincho (aos 94 min.). Vermelho Direto a Jonathan Silva (aos 41 min.) e Gildo Costa (aos 88 min.).
    .
    Numa tarde bastante agradável e com um Municipal de Pombal a registar uma excelente moldura humana, as equipas da UD Leiria e da Moita do Boi defrontaram-se a fim de apurar o Campeão Distrital da I Divisão.
    Começou melhor o jogo a equipa da União de Leiria, e logo aos 3 minutos, depois de uma jogada de insistência, Dário Marquês obriga João Mendes a uma defesa apertada para canto. Na sequência do canto, a bola sobra novamente para Dário Marquês, que à entrada da área remata forte, com a bola a passar a centímetros do poste direito da baliza de João Mendes. Aos 11 minutos, novo lance de muito perigo para a União de Leiria: Edgar Grincho cruza na direita e Giovanni em excelente posição dentro da área, cabeceia sem oposição, mas a bola acaba por sair para fora.
    Aos 29 minutos, de novo Giovanni a criar perigo. Cruzamento na esquerda, e o possante avançado da União de Leiria cabeceia dentro da pequena área, mas a bola acaba por sair mal direccionada. Três minutos depois, novo lance para a União de Leiria: Triangulação no ataque da equipa de Luís Bilro, com a bola a chegar ao "irrequieto" Rui Bento, que tenta o cruzamento, e Fábio Parracho, na tentativa de fazer o corte, quase introduz a bola na sua baliza. Aos 34 minutos é Edgar Fernandes que quase chega ao golo, depois de um excelente remate à entrada da área, proporcionando a João Mendes uma excelente defesa. O sinal mais era claramente da União de Leiria, perante uma equipa da Moita do Boi mais na expectativa e que procurava lançar rápidos contra-ataques, mas que eram facilmente anulados pela defesa unionista. Já com o jogo a encaminhar-se para o intervalo, aos 41 minutos, a Moita do Boi vai ficar a reduzida a 10 elementos, num lance a castigar falta de Jonathan Silva, e em que nos pareceu algo exagerada a cartolina vermelha.
    E quando se esperava para a segunda parte mais do mesmo, ainda para mais com a Moita do Boi reduzida a 10 unidades, foi surpreendentemente uma Moita do Boi mais atrevida aquela que reiniciou o jogo, e, logo aos 45 minutos, Roberto Dias desfere um remate com algum perigo. Na resposta, aos 52 minutos, a União de Leiria está outra vez perto do golo: Livre na direita, com Edgar Grincho a colocar na área, a bola a chegar a Marco Aurélio, que com tudo para fazer o golo, remata à trave da baliza de João Mendes.
    O jogo estava mais dividido, e, na resposta, Mário Ribeiro ganha em velocidade aos homens da defensiva da União de Leiria e, na cara de Vítor Maranhão, remata fraco, para defesa fácil deste. A Moita do Boi estava melhor e, aos 59 minutos, quase chega ao golo, num canto na direita, com a bola a sobrar para Mário Ribeiro, que, quase em cima da linha de golo, não consegue dar o melhor seguimento ao lance.

    ResponderEliminar
  60. Até que aos 67 minutos vai aparecer o lance capital do jogo. Falta clara de Gildo Costa dentro da sua área, e Giovanni encarregue da marcação do penalti faz o 1-0 para a União de Leiria e dá assim alguma justiça no marcador.
    Em desvantagem no marcador e em desvantagem numérica, a Moita do Boi não se rendeu, e, aos 75 minutos, depois de uma jogada de insistência, José Silva cria muito perigo para a baliza de Vítor Maranhão. Praticamente na resposta, Edgar Fernandes desenrola um bom lance pelo flanco esquerdo, mas, em excelente posição para ampliar o marcador, acaba por rematar por cima da baliza de João Mendes.
    Com o jogo já completamente partido, e com a Moita do Boi a jogar com nove elementos e totalmente balanceada para o ataque na procura do golo do empate, Henrique Piló, vai, aos 85 minutos, ter uma perdida escandalosa, depois de aparecer na cara de João Mendes e de o contornar, com a baliza completamente deserta, remata para fora para desespero dos adeptos da União de Leiria.
    Seria a primeira ocasião desperdiçada pelo avançado leiriense, que em período de descontos vai ainda ter mais duas ocasiões soberanas de golo, que acaba por perder.
    Vitória justa da equipa da União de Leiria, que sem ter feito um jogo exuberante foi a melhor equipa em campo e mostrou argumentos mais do que suficientes para vencer este jogo. Quanto à equipa da Moita do Boi, foi um digno vencido, mesmo em inferioridade numérica nunca deixou de lutar, e por vezes chegou a criar bastante perigo para a defensiva da União de Leiria.
    Quanto à arbitragem de Hugo Pires e seus pares, pareceu-nos que decidiu bem no lance capital do jogo, ou seja, na grande penalidade a favor da União de Leiria, mas no resto, principalmente na parte disciplinar, teve uma actuação muito descolorida, parecendo-nos claramente excesso de zelo a expulsão ainda na primeira parte de Jonathan Silva.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...